quinta-feira, 22 de outubro de 2009

DITOS POPULARES | ADAGOS

ÍNDICE

A.. 3

B.. 8

C.. 9

D.. 11

E.. 13

F. 21

G.. 23

H.. 24

I. 25

J. 26

L.. 27

M... 28

N.. 29

O.. 36

P. 40

Q.. 42

R.. 48

S. 49

T. 52

U.. 61

V.. 62


A

A Angustia; “Não Leva a Lugar Nenhum”.

A Ansiedade; “Faz Engordar”.

A Ausência e a Distância; “Confirmam a constância”.

A Ave Se Destaca Pelo Canto; “E a mulher pelo encanto”.

À bala; “não sabe dobrar esquina”.

A Barra; “Vai Pesar”.

A Boca Fala; “O Rabo Paga”.

A Boca Que O Rosto Beija; “É A Mesma Que Em Teu Rosto Cospe”.

A Bomba; “Ta Pra Estourar”.

A Cara de Um; “E O Focinho de Outro”.

A Confiança Perdida; “Nunca Se Recupera”.

A Corda Só Arrebenta; “Do Lado Mais Fraco”.

A Culpa; “Condena”.

A Curiosidade; “Matou O Gato”.

A Desculpa do Amarelão; “É A Febre”.

A Desgraça do Protegido; “É O Protetor”.

A Desgraça; “Nunca Sozinha”.

A Desgraça; “Só Que O Começo”.

A Diferença de Um Palmo; “Na Água Sai”.

A Dor da Ingratidão; “Dilacera O Coração”.

A Dor Dói; “Mas Passa”.

A Dor; “É Que Ensina A Gemer”.

A Duvida; “Desperta O Conhecimento”.

A Escada de Subida; “Pode Ser Também A Escada de Descida”.

A Escalada de Hoje; “Poderá Ser A Encalhada de Amanhã”.

A Escola Educa; “P Exemplo Dignifica”.

A Esperança; “É A Ultima Que Morre”.

Á Falta de Um Empurrão; “Se Perde Uma Questão”.

A Felicidade Não É Um Privilegio; “É Uma Dádiva Divina”.

A Fonte; “Secou”.

A Formiga Quando Quer Se Perder; “Cria Asas”.

A Fortuna É Como A Neve; “A Sorte É Como A Balança”.

A Fruta Que Tu Gosta; “Eu Como Ate As Verdes”.

A Fruta Só Cai; “Debaixo da Árvore”.

A Ganância; “Espanta Fortuna”.

A Gente Confia; “Desconfiando”.

A Gente Cria Os Filhos; “Para O Mundo”.

A Gente Tira; “De Letra”.

A Historia; “É O Retrato da Vida”.

A Historia; “É Outra”.

A Ignorância; “É A Mãe da Miséria”.

A Ingratidão; “Tira A Afeição”.

A Intriga; “É A Arma do Invejoso”.

A Inveja; “Matou Caim”.

A Justiça Divina; “Tarda Mais Não Falha”.

A Justiça É Cega; “Mais Não É Burra”.

A Justiça É Reta; “E Certa”.

A Maldade do Mundo; “Não Tem Limites”.

A Mão Que Afaga; “É A Mesma Que Apedreja”.

A Melhor Defesa; “É O Ataque”.

A Mentira Vence; “Mais Não Convence”.

A Mentira; “Sempre Anda Na Frente”.

A Mentira; “Tem As Pernas Curtas”.

A Mim Só Interessa O Presente; “O Futuro A Deus Pertence”.

A Minha Boca; “É Um Tumulo”.

A Mulher É Uma Loucura; “Quanto Mais Mente Mais Jura”.

A Mulher Quando Não Convence, Chora; “O Marido Convencido Acredita”.

A Natureza; “É Sabia”.

A Natureza; “Não Perdoa”.

A Necessidade; “É Mãe da Invenção”.

A Necessidade; “É Mãe de Todas As Idéias”.

A Nobreza do Presente Não Esta Em Quem Oferece; “Esta Em Quem Recebe”.

À Noite; “Todos Os Gatos São Pardos”.

A Ocasião; “É O Que Faz O Ladrão”.

A Paixão; “Deixa O Homem Manso”.

A Palavra Se Cala; “O Pensamento Nunca”.

A Pesar da Tempestade; “O Barco Não Afundou”.

A Pessoa Só É Derrotada; “A Partir do Momento Que Aceita A Derrota”.

A Pimenta Só Arde No Olho da Gente; “No Olho dos Outros É Refresco”.

A Pombinha Já Vai Bater; “As Asas”.

A Porta da Rua; “É Serventia da Casa”.

A Pressa; “É Inimiga da Perfeição”.

A Primeira Impressão; “É A Que Fica”.

A Primeira Noticia; “É A Que Impressiona”.

A Propaganda; “É A Arma do Negocio”.

A Prudência; “É Boa Conselheira”.

A Quem Deus Promete; “Não Falta”.

A Realização; “É Filha Legitima do Sonho”.

A Sorte; “Me Abandonou”.

A Sorte; “Ta Lançada”.

A Tua Batata; “Ta Assando”.

A Tua Cabeça; “É O Teu Juiz”.

A Tua Cabeça; “É Teu Guia”.

A Tua Cama; “Esta Arrumada”.

A Tua Cama; “Tem O Lençol Curto”.

A Tua Encomenda; “Esta No Correio”.

A Tua Vergonha; “O Cachorro Já Lambeu”.

A Última Homenagem; “Tem Que Ser A Melhor”.

A União; “Faz A Força” .

A Verdade Ainda Que Demore; “Sempre Aparece”.

A Verdade Esta Saltando; “Aos Olhos de Todos”.

A Verdade Maltrata; “Mais Depois Consola”.

A Verdade Que A Boca Fala; “Não É A Verdade Que Os Olhos Vêem”.

A Verdade: “De Cada Um”.

A Verdade; “Dói”. “Mas É Verdade”.

A Verdade; “Tem Que Ser Dita”.

A Vida É Cheia; “De Opções”.

A Vida É Curta; “Porém Bela”.

A Vida É Feita de Minutos; “E Segundos”.

A Vida É Uma Avenida; “De Duas Mãos”.

A Vida É Uma Estrada Cheia de Curvas; Em Cada Curva Uma Surpresa”.

A Vida Não É Tão Somente; “Um Amar de Rosas”.

A Vida Só É Dura; “Pra Quem É Mole”.

A Vida Tem Seus Momentos; “De Beleza E Encantamento”.

A Vida; “Começa Aos Quarenta”.

A Vida; “Imita A Arte”.

A Vida; “Tem Dessas Coisas”.

A Vigilância E A Atenção; “É O Que Espanta O Tubarão”.

A Vingança; “É Prato Pra Se Comer Frio”.

A Virtude Se Perde Entre Interesses; “Como Os Rios Se Perdem Entre Os Mares”.

A Vista; “É O Que Faz A Fé”.

À Volta; “É O Que Faz O Anzol”.

A Voz da Experiência; “É Sabedoria”.

A Voz da Razão; “Fala Mais Alto”.

A Voz do Povo; “É A Voz de Deus”.

Abaixa; “O Teu Volume”.

Acabou-Se; “O Que Era Doce”.

Aconteceu Debaixo; “Das Minhas Vistas”.

Acreditar; “Só Vendo”.

Agora Acabou; “A Sopa”.

Agora Durma; “Com Essa Zoada”.

Agora É A Minha Vez; “De Sorrir”.

Agora É Que A Porca Torce O Rabo; “Se Não For O Rabicho”.

Agora É Vencer; “Ou Vencer”.

Agora Ele Cospe; “Nos Que Estão Aqui Embaixo”.

Agora Morde; “O Cotovelo”.

Agora Nem Mel; “E Nem Cumbuca”.

Agora Os Tempos; “São Outros”.

Agora Posso; “Morrer Tranqüilo”.

Agora Vai; “Ou Racha”.

Agora, É Que; “Vamos Ver”.

Agora; “É Tarde de Mais”.

Água Mole Em Pedra Dura; “Tanto Bate Ate Que Fura”.

Aguarde; “Noticias Minhas”.

Águas Passadas; “Não Movem Moinhos”.

Aí Vamos Ver; “Quem Tem Roupa No Corador”.

Aí; “A Coisa Pega”.

Ai; “É Que Mora O Perigo”.

Ainda É Muito Cedo; “Pra Contar Vitória”.

Ainda É Muito Cedo; “Pra Falar”.

Ainda É Tempo; “De Abandonar O Barco”.

Ainda Esta Com O Osso; “Muito Mole”.

Ainda Há Muito; “O Que Aprender”.

Ainda Tem Muita Água; “Pra Passar Por Debaixo da Ponte”.

Ainda Tem Muita Estrada; “Pra Rodar”.

Ainda Tem Muita Gordura; “Pra Cortar”.

Ainda Tem Muita Lenha; “Pra Queimar”.

Ainda Tem Muito Chão; “Pra Pisar”.

Ainda Tem Muitos Anos; “Pela Frente”.

Ainda Vem; “Muito Chumbo Grosso”.

Ajoelhou; “Tem Que Rezar”.

Alegria de Pobre; “Dura Pouco”.

Alegria do Palhaço; “É Ver O Circo Pegar Fogo”.

Alem da Queda; “Coice”.

Alem de Besta; “Pobre E Triste”.

Aliança; “É Bambolê de Otário”.

Amanha; “Será Outro Dia”.

Amigos, Amigos; “Negócios A Parte”.

Amizade; “É Moeda Rara”.

Amor Antigo; “Paixão”.

Amor Não Correspondido; “Coração Ferido”.

Amor Não Enche Barriga; “E Ódio Não Faz Empachar”.

Amor Novo; “Ilusão”.

Amor Proibido; “Não Convém E Não Convence”.

Amor; “Com Amor Se Paga”.

Antes Ele; “Do Que Eu”.

Antes O Pouco Certo; “Do Que O Muito Duvidoso”.

Antes O Sabor da Derrota; “Do Que A Vergonha de Não Ter Lutado”.

Antes Só; “Do Que Mal Acompanhado”.

Antes Tarde; “Do Que Nunca”,

Antes Um Pássaro Na Mão; “Do Que Dois Voando”.

Antes Uma Verdade Amarga; “Do Que Uma Mentira Doce”.

Antiguidade; “É Rosto”.

Aonde A Vaca Vai; “O Boi Vai Atrás”.

Aonde Esta A Arraia; “Esta O Ferrão”.

Aonde Esta O Cachorro; “Esta A Pulga”.

Aonde Esta O Pajé; “Esta O Maracá”.

Aonde Eu Boto A Mão; “Deus Bota A Virtude”.

Aonde Falta Amor; “Sobra Dor”.

Aonde Foi Casa; “É Tapera”.

Aonde Não Tem Pecado; “Não Pode Ter Perdão”.

Aonde Se Mata O Boi; “Lá Se Esfola”.

Apaga; “o teu facho”.

Apaga Tudo; “O Que Eu Falei”.

Apanha Mais; “Do Que Burro de Carga”.

Apanhando; “É Que Se Aprende”.

Aproveita; “Enquanto O Brás É Tesoureiro”.

Aqui É A Casa do Bom Homem; “Quem Não Trabalha Não Come”.

Aqui Já Deu; “O Que Tinha Que Dar”.

Aqui Não É; “A Casa da Mãe Joana”.

Aqui Não É; “A Casa da Sogra”.

Aqui Não É; “A Minha Praia”.

Aqui Plantei; “O Meu Pé de Cá Te Espera”.

Aqui Se Faz; “Aqui Se Paga”.

Arregaça As Mangas; “E Bota As Mãos Na Massa”.

Arrependimento; “Não Mata”.

Arrependimento; “Só Chega Atrasado”.

Arrocha; “O Nó”.

Arrumei Uma Sogra; “E Ganhei Uma Dor de Cabeça”.

As Aparências; “Enganam”.

As Coisas Estão Na Nossa Frente; “A Gente Não Quer Ver”.

As Coisas Menores; “Não Fazem Parte do Meu Cotidiano”.

As Mariposas; “Só Voam Á Noite”.

As Minha Duvida; “Não Chegam A Tanto”.

As Moscas; “Só Posam Nas Pústulas”.

As Noites; “São Traiçoeiras”.

As Palavras Voam; “Os Escritos Permanecem”.

Às Vezes; “O Barato Sai Caro”.

Assim Tu Não Vai Botar; “O Teu Boi Na Sombra”.

Assim; “A Casa Vai À Falência”.

Assim; “A Vaca Vai Pro Brejo”.

Assim; “Boi Não Brinca”.

Assim; “É Um Abraço”.

Assim; “Não da”.

Assim; “Não Tem Quem Agüente”.

Assim; “O Barco Vai A Pique”.

Assim; “Papai Não Beija”.

Assunto; “Encerrado”.

Até Agora; “Nada Deu Certo”.

Até Parece; “Coisa Feita”.

Até Parece; “Que Tu Não Me Conhece”.

Atirei No Dragão; “E Acertei Em São Jorge”.

Atirei No Que Vi; “E Matei O Que Não Vi”.


B

Balança honesta; “não prende só para um lado”.

Bandido Bom; “É Bandido Morto”.

Barco Parado; “Não Ganha Frete”.

Barco Perdido; “Bem Carregado”.

Barriga Cheia; “Não É Fartura”.

Bate; “Na Tua Boca”.

Bateu; “Em Retirada”.

Bateu; “Levou”.

Bati; “Coma Cara Na Porta”.

Bêbado E Criança; “Não Se da Confiança”.

Beleza; “Não Se Põe Na Mesa”.

Beliscou; “Fisgou”.

Bicho Que Muito Espirra; “Não Entra Na Toca”.

Boa Romaria Faz; “Que Em Casa Fica Em Paz”.

Boa Vida; “Não Quer Pressa”.

Bobeou; “Dançou”.

Bota A Cabeça; “No Lugar”.

Bota A Cabeça; “Pra Funcionar”.

Bota Fogo; “Na Canjica”.

Bota Uma Pedra; “Encima Dessa Historia”.

Botei Na Princesa; “Como São Jorge Botou No Dragão”.

Botou Cocô; “No Ventilador”.

Botou Tudo; “A Perder”.

Botou Tudo; Em Prato Limpo”.

Botou Tudo; “Pra Fora”.

Brincadeira; “Tem Hora”.

Brincando; “O Cachorro Emprenhou A Mãe”.


C

Cabeça Vazia;É Oficio do Diabo”.

Cachorro Magro; “Não Dispensa Osso Gordo”.

Cachorro Muito Caseiro; “Perde O Faro”.

Cada Ação; “Impõe Uma Reação”.

Cada Bruxa; “Com Seu Fado”.

Cada Cabeça; “Cada Sentença”.

Cada Cabeça; “Tem O Pilho Que Merece”.

Cada Camelo; “Com Sua Corcova”.

Cada Caracol; “Tem A Sua Concha”.

Cada Caso;É Um Caso”.

Cada Coisa; “No Seu Devido Tempo”.

Cada Coxo; “Com Sua Muleta”.

Cada Crise; “Com Sua Agonia”.

Cada Dia Que Se Passa; “Mais A Corda Se Enrosca No Pescoço”.

Cada Força É Proporcional; “Ao Seu Tamanho”.

Cada Judas; “Com Sua Traição”.

Cada Justo; “Com Seu Perdão”.

Cada Louco; “Com Sua Mania”.

Cada Macaco; “No Seu Galho”.

Cada Momento; “Tem A Sua Beleza E Encantamento”.

Cada Pecador; “Com Sua Penitencia”.

Cada pérola; “com sua concha”.

Cada Pedinte; “Com Seu Bornal”.

Cada Penico; “Com Sua Tampa”.

Cada terreiro; “com o seu galo”.

Cada Qual; “No Seu Cada Qual”.

Cada rei; “com seu baralho”.

Cada Situação; “Coma Sua Peculiaridade”.

Cada Sofredor; “Com Sua Paciência”.

Cada Terra Com O Seu Uso; “Cada Roda Com Seu Fuso”.

Cada Um No Que É O Seu; “O Diabo Não Tem O Que Fazer”.

Cada Um Sabe; “Onde O Calo Dói”.

Cada Um; “Que Cuide de Si”.

Caiu A Sopa; “No Mel”.

Caiu Como Um; “Patinho”.

Caiu Como Uma; “Mão Na Luva”.

Caiu de; “Maduro”.

Caiu de; “Quatro”.

Caiu Na Boca; “Do Povo”.

Caiu Na Rede; “É Peixe”.

Caiu No Canto; “Da Sereia”.

Caiu No Conto; “Do Vigário”.

Caiu No; “Esquecimento”.

Caiu; “Do Céu: Em Boa Hora”.

Cala-Te; “Boca”.

Calça de Veludo; “Ou Bumbum de Fora”.

Camarão Que Dorme; “A Onda Leva”.

Cantiga A Toa; “Não Entoa”.

Cão de Caça; “Vem de Raça”.

Cão Que Ladra; “Não Morde”.

Cara; “Dá Um Tempo”.

Carrega; “A Tua Cruz”.

Carreira de Velho; “É Queda”.

Casa Que Não Entra Sol; “Entra Medico”.

Casamento E Mortalha; “No Céu Se Talha”.

Casar É Fácil; “Difícil É Se Manter Casado”.

Castigo Não É Santo; “Mais Obra Milagre”.

Cavalo Amarrado; “Também Pasta”.

Cavalo Dado; “Não Se Olha Os Dentes”.

Cavalo Que Nasceu Pra Cangalha; “Não Se Acostuma Com Sela”.

Cavalo Só Passa Selado; “Uma Vez”.

Cavalo; “Não Sobe Escada”.

Cavalo; “Não Tem Chifres”.

Chegou a Hora; “De a Onça Beber Água”.

Chegou A Hora; “Da Verdade”.

Chora Mais; “Do Que Bezerro Desmamado”.

Chora Na Cama; “Que É Lugar Quente”.

Ciscar de Galinha; “Não Mata Pinto”.

Cobra Que Não Anda; “Não Engole Sapo”.

Coisa Boa; “É Casa de Papai E Mamãe”.

Coisa Oferecida; “Não Se Dá Preço”.

Com Bananas E Bolos; “Se Enganam Os Tolos”.

Com Conversa E Jeito; “Se Leva O Sujeito”.

Com Esta; “Urubu Vai A Festa”.

Com Jogo Bebida E Mulher; “Só Se Engana Quem Quer”.

Com O Dragão; “É Jogo”.

Com Quem Casei; “A Minha Filha”.

Com Superior E Pomba; “Não Se Zomba”.

Começamos; “A Se Entender”.

Comigo É Pão, Pão; “Queijo, Queijo”.

Como Anda Depressa; “A Tua Fila”.

Como Fui Cair; “Nessa Esparrela”.

Confiança Demais; “É A Mor de Menos”.

Confiança E Respeito; “Não Se Impõe, Se Conquista”.

Conselho E Canja; “Não Fazem Mal A Ninguém”.

Conselho E Rapé; “Só Toma Quem Quer”.

Contando; “Ninguém Acredita”.

Contra A Força; “Não Há Resistência”.

Contra Fatos; “Não Há Argumentos”.

Conversar; “Não Arranca Pedaço”.

Coração de Mãe É Como Chuva de Finados; “Não Falha”.

Cria Corvos; “Que Te Comerão Os Olhos”.

Criar; “É Matar A Morte”.

Cuidado Jararaca Pra Quando Der O Bote; “Não Ficar Sem As Presas”.

Custe O Que Custar; “Haja O Que Houver”.


D

Dá Água; “Na Boca”.

Da Boca Pra Fora; “O Coração Sabe Mentir”.

Da Comedi Que Não Gostamos; “Dela Não Participamos”.

Da Comida Que Não Gostamos; “Comemos Pouco Ou Não Comemos Nada”.

Da Dor de Dente; “Em Serrote”.

Da Inveja E do Invejoso; “Ninguém Ta Livre”.

Dá Nó; “Em Pingo D’água”.

Da Parte Quem Me Toca; “Farinha de Tapioca”.

Dá Trotes; “Á Bola”.

Dá Uma No Cravo; “E Outra Na Ferradura”.

Dê Asas; “A Imaginação”.

De Boas Intenções; “O Inferno Ta Cheio”.

De Grão Em Grão; “A Galinha Enche O Papo”.

De Hora Em Hora; “Deus Melhora”.

De Jeito; “E Maneira”.

De Medico E Louco; “Todos, Tem Um Pouco”.

De Onde Não Se Espera; “É de Lá Que Vem”.

De Onde Se Tira E Não de Bota; “Aumenta A Nota”.

Dê Tempo; “Ao Tempo”.

Debaixo Desse Angu; “Tem Caroço”.

Defunto; “Não Despensa Cova”.

Dei de Cara; “Coma Fera”.

Deixa A Mistura Decantar; “Pra Depois Falar”.

Deixa A Poeira Baixar; “Pra Depois Desabafar”.

Deixa Como Esta; “Pra Ver Como Fica”.

Deixa Primeiro A Desgraça Acontecer; “Para Depois Sofrer”.

Deixa; “De Lenga, Lenga”.

Deixou Ficha; “Cair”.

Depois da Ressaca; “Vem A Bonança”.

Depois da Tempestade; “Vem A Inundação”.

Depois de Morto; “Ate O Diabo Vira Santo”.

Depois de Tantas; “Idas E Vindas”.

Depois dos Quarenta; “Doçura E Gordura Levam A Sepultura”.

Depois Não Diga; “Que Eu Não Avisei”.

Depois Que O Caldo Entorna; “Nem Língua de Cachorro Bebe”.

Desapareceu Como; “Por Encanto”.

Desapareceu Sem; “Deixar Rastro”.

Desce das Nuvens; “E Cai Na Real”.

Desculpa; “O Mau Jeito”.

Desembucha; “E Não Estrebucha”.

Desgraça Pouca; “É Tiquinho”.

Desperta Que; “O Sonho Acabou”.

Dessa Missa; “Não Saber O Terço”.

Desse Jeito; “Não Tem Quem Agüente”.

Desse Mato; “Não Sai Coelho”.

Desse Susto; “Eu Não Morro”.

Desta Missa; “Ela Não Sabe O Terço”.

Deu Um Chega; “Pra Lá”.

Deus dá À Sorte; “A Pessoa Faz O Destino”.

Deus dá À Vida; “Para Que Cada Um Trate da Sua”.

Deus dá O Frio; “Conforme O Cobertor”.

Deus dá; “Só Não dá Cozido”.

Deus Dá; “Só Não dá Pronto”.

Deus Escreve Certo; “Por Linhas Tortas”.

Deus Me Dê O Bom Caminho; “E Me Livre do Mal Vizinho”.

Deus Quando Tiras O Dentes; “Alarga A Garganta”.

Deus Sabe O Que Faz; “Ninguém Sabe O Que Diz”.

Deus Só dá Asa; “Pra Quem Não Sabe Voar”.

Deus Só dá O Peso; ”Que Podemos Carregar”.

Deus Tarda; “Mais Não Falta”.

Deus; “É Justo”.

Deus; “Não Dormi”.

Deva Ao Vilão; “Não Deva Ao Barão”.

Devagar Com O Andor; “Que O Santo É de Barro”.

Devagar; “Se Vai Ao Longe”.

Devo E Não Nego; “Pago Quando Puder”.

Devo; “Ta Sonhando”.

Diferença de Um Palmo; “Na Água Sai”.

Diga O Milagre; “Mais Não Diga O Nome do Santo”.

Dinheiro Público É Como Água Benta; “Todos Querem Meter A Mão”.

Dinheiro Público Só Vale Pra Comprar; “Idéias Sem Valor”.

Do Jeito Que A Musica Toca; “Eu Danço”.

Do Jeito Que Esta; “Não Pode Ficar”.

Dois Bicudos Não Se Beijam; “Duas Bocas Fundas, Pior”.

Dois Corcundas Não Se Medem; “Por Causa do Caracol”.

Dois Não Brigam; “Quando Um Não Quer”.

Dor de Barriga; “Não Dá Só Uma Vez”.

Dor de Corno; “Não Passa”.

Dor de Cotovelo; “Não Tem Remédio”.

Dor de Dente; “É Sinal de Gente”.

Dorme Mais O Que; “Gato de Hotel”.

Dormiu Com A Roupa do; “Avesso”.

Dormiu Na Estação; “Más Perdeu O Trem”.

Dormiu; “A Mais da Conta”.

Dormiu; “Como Um Anjo”.

Dormiu; “De Touca”.

Dormiu; “No Ponto”.

Dos Males; “O Menor”.

Dou A Mão; “A Palmatória”.

Dou O Meu Pescoço; “Ao Cutelo”.

Dura Mais; “Do Que Coisa Ruim”.

Duvidar de Mim; “É Duvidar Que Pimenta Arde”.


E

É A Cruz; “Do Meu Calvário”.

É A Força; “Do Habito”.

É A Mesma Xaropada; “De Sempre”.

É A Minha Fada; “Madrinha”.

É A Minha Galinha; “Dos Ovos de Ouro”.

É A Política; “Da Boa Vizinhança”.

É A Salvação; “Da Lavoura”.

É A Ultima Rapinha; “De Tacho”.

É A Volta; “Que Engorda A Troca”.

E Agora; “Jose”.

E Ai; “O Que É Que Tem”.

E Aí; “Qual É A Tua”.

É Assim; “Que Se Fala”.

É Bom Estar; “Preparado”.

É Bom Respeitar; “As Caras”.

É Carta; “Fora do Baralho”.

É Cheio de Nó; “Pelas Costas”.

É Como Se Nada; “Tivesse Acontecido”.

É Como Uma Gota D’Água; “No Oceano”.

É Como Vício; “Fácil de Adquirir E Difícil de Largar”.

É Costa No Chão; “E Dinheiro Na Mão”.

E Daí; “Como Fica”.

É Dando; “Que Se Recebemos”.

É de Pequenino; “Que Se Torce O Pepino”.

É Desculpa de Bêbado; “Pra Delegado”.

É Dose Pra Matar; “Leão”.

É Ele Em Carne; “E Osso”.

É Gato Escondido; “Com O Rabo de Fora”.

É Hoje; “Que A Jiripoca Pia”.

É Hoje; “Que A Vaca Tosse”.

É Igual À Dona Raimunda; “Feia de Cara E Boa de Bunda”.

É Madeira de Dá; “Em Doido”.

É Mais Fácil Pegar O Mentiroso; “Do Que O Coxo”.

É Mais Fácil; “Galo Criar Dente”.

É Mais Teimosa; “Do Que Vaca Velha”.

É Mais Terrível; “Do Que Voz de Prisão”.

É melhor aparecer “do que ser e não parecer”

É Melhor Chorar Pela Morte; “Do Chorar Pela Sorte”.

É Melhor Escapar Fedendo; “Do Que Morrer Cheiroso”.

É Melhor Perder O Almoço; “Do Que Perder O Pescoço”.

É Melhor Pesar; “Antes de Acreditar”.

É Melhor Prevenir; “Do Que Remediar”.

É Melhor Se Pobre Com Os Pés No Chão; “Do Que Ser Rico Nas Nuvens”.

É Melhor Sustentar Burro; “A Pão-De-Ló”.

É Menos do Que Mereço; “Mais É Mais do Que Preciso”.

É Mesmo Que Chover; “No Molhado”.

É Mesmo Que Passar Manteiga; “Em Venta de Gato”.

É Mesmo Que Trocar Seis; “Por Meia Dúzia”.

É Metido; “A Besta”.

É Metido; “A Cavalo do Cão”.

É Muita Areia; “Pro Meu Caminhão”.

É Muita Cara; “De Pau”.

É Muita Comida; “Pra Só Um Esfomeado”.

É Muita Desgraça; “Pra Um Dia Só”.

É Muita Honra; “Pra Um Pobre Marquês”.

É Muita Loucura; “Pra Pouca Aventura”.

É Muita Maldade; “Pra Um Só Calabar”.

É Muita Pompa; “Pra Pouca Circunstancia”.

É Muita Pretensão; “João”.

É Muita; “Coincidência”.

É Muito Altar; “Pra Um Só Cristão”.

É Muito Avião; “Pro Meu Aeroporto”.

É Muito Milagre; “Pra Um Santo Só”.

É Muito Mocotó; “Pra Minha Panela”.

É Muito Papo; “Furado”.

É O Bobo; “Da Corte”.

É O Costume do Cachimbo; “Que Falta A Boca Torta”.

É O Desconto; “Dos Meus Pecados”.

É O Fim; “Da Picada”.

É O Habito; “Que Faz O Monge”.

É O Meu; “Anjo da Guarda”.

É O Meu; “Cavalo de Estimação”.

É O Olho do Dono; “Que Engorda O Boi”.

É O Ultimo; “Dos Moicanos”.

É Pega Lá; “Dá Cá”.

É Pegar; “Ou Largar”.

É Pior Que Macaco; “Por Banana”.

É Por Debaixo dos Panos; “Que Se Arruma S Coisas”.

É Prata; “De Casa”.

É Preciso Juntar; “Os Cacos”.

É Prego Batido; “Da Ponta Virada”.

É Só da Boca; “Pra Fora”.

É Só Esperar; “Pra Ver”.

É Só Estalar Os Dedos; “Que Ela Vem”.

É Só Falar No Diabo; “Que Ele Aparece”.

É Só Jogar O Laço; “E Correr Pro Abraço”.

É Tanta Sujeira; “Que Ate Deus Duvida”.

É Tempestade; “Em Copo D Água”.

É Toma Lá; “E Dá Cá”.

É Um Abraço; “De Tamanduá”.

É Um Balaio; “De Gatos”.

É Um Deus; “Nos Acuda”.

É Um Elefante; “Branco”.

É Um Mingau; “De Caroço”.

É Um Negocio; “Da China”.

É Um Nó; “Cego”.

É Um Olho No Peixe; “E Outro No Gato”.

É Um Osso; “Duro de Roer”.

É Um Pobre; “Coitado”.

É Um Verdadeiro; “Ninho de Cobras”.

É Uma Baboseira; “Só”.

É Uma Faca; “De Dois Gumes”.

É Uma Lição; “Pra Toda Vida”.

É Uma Parada; “Dura”.

É Uma Parada; “Indigesta”.

É Uma Pedra; “No Meu Caminho”.

É Uma Pedra; “No Meu Sapato”.

Ela Apanha Mais; “Do Que Vaca Em Horta”.

Ela Deita; “E Rola”.

Ela Depenou; “O Pato”.

Ela Deu Com Os Burros; “N´água”.

Ela Deu; “De Mão Beijada”.

Ela Dó Queria; “Um Pezinho”.

Ela É A Minha; “Bonequinha de Louça”.

Ela É A Minha; “Dor de Cabeça”.

Ela É A Minha; “Espinha Dorsal”.

Ela É da Rede; “Rasgada”.

Ela É de Fazer Padre; “Ficar Corado”.

Ela É de Parar; “O Transito”.

Ela É O Meu Sonho; “De Consumo”.

Ela É O Meu; “Quebra Galho”.

Ela É Uma Espinha Atravessada; “Na Minha Garganta”.

Ela É Uma; “Boa Bisca”.

Ela É; “Cobra Criada”.

Ela É; “Tal E Qual”.

Ela Foi Criada; “Como Deus Criou Batata”.

Ela Foi Criada; “Sem Calça”.

Ela Jurou de Pés Juntos; “E Mãos Postas”.

Ela Mordeu; “A Isca”.

Ela Não Abre; “A Guarda”.

Ela Não É Flor; “Que Se Cheire”.

Ela Não Vai Ter; “Boa Vida”.

Ela Não Vai Ter; “Vida Fácil”.

Ela Parece; “Ave Agourenta”.

Ela Perdeu; “O Rebolado”.

Ela Saiu Falando; “Cobras E Lagartos”.

Ela Se Arrependeu; “De Ter Largado A Muleta”.

Ela Ta Pior do Que; “Cadela No Cio”.

Ela Ta Vivendo; “A Deus Dará”.

Ela Ta; “Na Rua da Amargura”.

Ela Ta; “Se Arrependendo Toda”.

Ela Tem Cara de Anjo; “A E Alma de Demônio”.

Ela Tem O Pé; “No Chão”.

Ela Tema Cabeça; “No Lugar”.

Ela Virou; “Manchete de Jornal”.

Ela Virou; “Noticia”.

Ela Vive Como As Aranhas; “Confiando Em Teia”.

Ela Vive Rondando; “Como Mosca de Bolo”.

Ela; “Acertou Na Mosca”.

Ele botou pimenta; “antes da comida ficar pronta”.

Ele Caiu; ‘Do Cavalo’.

Ele Caiu; “Pra Traz”.

Ele Casa; “E Batiza”.

Ele Chora Um Olho; “E Mareja O Outro”.

Ele Confia; “Cegamente”.

Ele Corta; “E Apara”.

Ele da Á Deus; “Coma Mão Fechada”.

Ele Dá Uma No Cravo; “E Outra Na Ferradura”.

Ele É Barriga; “De Nós Todos”.

Ele É Brabo; “Mais Não Morde”.

Ele É Casado; “Mais Não É Capado”.

Ele É Cheio; “De Caraminhola”.

Ele É Desconfiado Mais do Que; “Índio”.

Ele É Deus E O Diabo; “Para Os Seus”.

Ele É Devoto; “De Todos Os Santos”.

Ele É do Baixo; “Clero”.

Ele É Lobo; “Na Pele de Cordeiro”.

Ele É Muito; “Casca Grossa”.

Ele É O Diabo; “Em Pessoa”.

Ele É O Meu; “Pé de Meia”.

Ele É O Meu; “Safa Onça”.

Ele É O Pombo; “Correio”.

Ele É O Pomo; “Da Discórdia”.

Ele É O; “Estraga Prazer”.

Ele É O; “Manda Chuva”.

Ele É Para Os Seus; “O Deus da Vida E Senhor da Morte”.

Ele É Um Leão; “Sem Juba”.

Ele É Um "Maria Vai Com As Outras”.

Ele É Um Vira; “Casaca”.

Ele É Um; “Boa Vida”.

Ele É Um; “Pé Rapado”.

Ele É; “Pau Mandado”.

Ele É; “Cabeça Dura”.

Ele É; “Casca Grossa”.

Ele É; “Cavalo de Tróia”.

Ele É; “Muito Inquieto”.

Ele É; “Pão Duro”.

Ele É; “Passado Na Casca do Alho”.

Ele É; “Pau Pra Toda Obra”.

Ele É; “Pior do Que Judas”.

Ele É; “Um Pé de Chinelo”.

Ele É; “Unha de Fome”.

Ele Entende; “Do Riscado”.

Ele Entrou; “Pela Janela”.

Ele Estava; “Com A Boca Na Botija”.

Ele Estava; “De Saia Justa”.

Ele Estava; “De Salto Alto”.

Ele Fareja; “Longe”.

Ele Faz; “A Diferença”.

Ele Ficou Com; “A Jóia da Coroa”.

Ele Ficou; “Na Saudade”.

Ele Foi Pego; “Com As Calças Na Mão”.

Ele Já Capou; “O Gato”.

Ele Lavou; “A Burra”.

Ele Marcou; “Bobeira”.

Ele Morde; “E Assopra”.

Ele Mordeu; “A Língua”.

Ele Não Brinca; “Em Serviço”.

Ele Não Come Ovo; “Pra Não Estragar A Casca”.

Ele Não da Água; “Á Pinto”.

Ele Não Enxerga Um Palmo; “A Frente do Nariz”.

Ele Não Tem Um Gato; “Pra Puxar Pelo Rabo”.

Ele Não Tem Um Pau; “Pra Dar Num Gato”.

Ele Não Tem; “Aonde Cair Morto”.

Ele Não; “Se Emenda”.

Ele Nasceu; “Com O Bumbum Pra Lua”.

Ele Nasceu; “Em Berço Esplendido”.

Ele Pagou; “O Pato”.

Ele Peida No Fogo; “Pra Não Comprar Abano”.

Ele Perdeu; “A Língua”.

Ele Ri; “Pra Não Chorar”.

Ele Ri; “Pra Não Morder”.

Ele Sabe; “Onde A Coruja Dormi”.

Ele Saiu; “A Francesa”.

Ele Saiu; “A Toque de Caixa”.

Ele Saiu; “De Bolso Vazio”.

Ele Se Fechou; “Em Copas”.

Ele Só Que Ser; “O Galo do Terreiro”.

Ele Só Quer Ser; “A Palmatória do Mundo”.

Ele Só Sabe Fazer; “Intrigas”.

Ele Ta Cagando; “E Andando”.

Ele Ta Correndo Com Dois Cavalos; “No Mesmo Páreo”.

Ele Tem A Cara; “Lambida”.

Ele Tem A; “Chave do Segredo”.

Ele Tem A; “Costa Quente”.

Ele Tem O; “Pé Quente”.

Ele Tem Panos; “Pras Mangas”.

Ele Tem; “O Pavio Curto”.

Ele tem; “o pavio curto”.

Ele Vai Ver Com Quantos Paus; “Se Faz Uma Jangada”.

Ele; “Azulou”.

Ele; “Usa E Abusa”.

Em Boca Fechada; “Não Entra Mosca”.

Em Bodas E Batizados; “Não Vá Sem Ser Convidado”.

Em Cabeça Ocupada; “Não Entra Minhoca”.

Em Caminho Cerrado; “Eu Não Ando”.

Em Time Que Esta Ganhando; “Não Se Mexe”.

Embarquei; “Numa Canoa Furada”.

Encontrei A Minha Alma; “Gêmea”.

Encontrei A Minha; “Outra Metade”.

Encontrei O; “Caminho das Pedras”.

Encontrei O; “Mapa das Minas”.

Encontrei O; “Sapato Pro Meu Pé”.

Encontrei; “A Margarida”.

Enganamos pouco por pouco tempo e muitos por muito tempo, só não enganamos “todos por todo tempo”.

Enquanto A Fortuna Dorme; “A Desgraça Não Descansa”.

Enquanto Eu Corro; “Mamãe Tem Um Filho”.

Enquanto O Pau Vem E Volta; “Minha Costa Folga”.

Entre Mortos E Feridos; “Escaparam Todos”.

Entregou O Ouro; “Ao Bandido”.

Entregou; “De Bandeja”.

Entrei Numa; “Roubada”.

Entrei; “De Laranja”.

Entrou Calado; “E Saiu Quieto”.

Entrou; “De Gaiato”.

Era Só O; “Que Faltava”.

Era Tudo O Que; “Eu Esperava”.

Era Tudo O Que; “Eu Queria Ver”.

És Meu Amigo; Ou És; “Amigo da Onça”.

És Um Santinho; “De Pau Oco”.

Escancarou; “A Porteira”.

Escorregar; “Não É Cair”.

Escreveu E Não Leu; “O Pau Comeu”.

Esfria; “A Cabeça”.

Espera O Estouro; “Da Boiada”.

Espera Sentado; “Que Em Pé Cansa”.

Esperei A Vida Toda; “Por Este Momento”.

Espinho Que Tem Que Furar; “De Pequenino Trás Ponta”.

Esqueça Tudo; “O Que Eu Disse”.

Essa Conversa Fiada; “É Pra Boi Dormir”.

Essa É Uma Outra; “Historia”.

Essa É Uma; “Historia Sem Fim”.

Essa Jóia; “Não Há Dinheiro Que Compre”.

Essa Novilha; “Já Ta Pulando A Cerca”.

Esse Aí; “Só Com Vara de Ferrão”.

Esse É Que É; “O Problema”.

Esta Alma; “Quer Reza”.

Esta Bezerra; “Quer Touro”.

Esta Cabrita; “Ta Querendo Bode”.

Esta Custando; “Os Olhos da Cara”.

Está do Jeito; “Que O Diabo Gosta”.

Esta É Areia; “De Outra Praia”.

Esta É; “A Minha Vingança”.

Esta Historia; “Esta Mal Contada”.

Esta Não É; “A Minha Praia”.

Esta Não É; “A Minha Serra”.

Esta Rede Só Pesca; “Peixe Miúdo”.

Está Sujeito; “A Ventos E Trovoadas”.

Esta Vara Verga; “Mais Não Quebra”.

Estamos Navegando; “Nas Mesmas Águas”.

Estamos Todos; “No Mesmo Barco”.

Estão Se Antecipando; “Aos Fatos”.

Estão; “Rasgando Seda”.

Estão; “Trocando As Bolas”.

Estão; “Trocando Farpas”.

Estão; “Trocando Figurinhas”.

Estava Na Hora Errada; “No Lugar Errado”.

Este Defunto; “Quer Cova”.

Este É Irmão; “Desse”.

Este É O Pomo; “Da Misericórdia”.

Este É; “Pano de Fundos”.

Este Santo; “Quer Altar”.

Estou de Pés E Mãos; “Atadas”.

Eu Amanso; “Essa Fera”.

Eu Aposto; “O Meu Próprio Pescoço”.

Eu Aposto; “Todas As Minhas Fichas”.

Eu Confio No Que Tenho; “E Desconfio do Que Posso Ter”.

Eu Confio; “No Meu Taco”.

Eu Digo E Você Diz; “Você Pede E Eu Ofereço”.

Eu Dispenso; “O Teu Piteco”.

Eu Dou Um Boi Pra Não Entra Na Briga; “E Dou Dois Pra Não Sair”.

Eu Dou Um Doce; “Pra Quem Acertar”.

Eu Entrei; “Pela Porta”.

Eu Entrei; “Pelo Cano”.

Eu Era Feliz; “E Não Sabia”.

Eu Falo; “De Boca Cheia”.

Eu Faria Tudo; “De Novo”.

Eu Fiquei; “De Alma Lavada”.

Eu Gostaria Muito de Poder Ajudar; “Mas Não Posso”.

Eu Gostaria Muito; “De Estar Enganado”.

Eu Já Gastei; “Todo O Meu Latim”.

Eu Já Peguei O Bonde; “Andando”.

Eu Já Vi; “Esse Filme”.

Eu Já Vi; “Tudo”.

Eu Lavo; “As Minhas Mãos”.

Eu Matei; “A Charada”.

Eu Não Boto A Minha; “Mão No Fogo”.

Eu Não Chafurdo; “No Mesmo Charco”.

Eu Não Como; “No Mesmo Cocho”.

Eu Não Dei; “Na Minha Mãe”.

Eu Não Enfeito Boneca; “Pra Outro Brincar”.

Eu Não Enfeito; “Pavão”.

Eu Não Entro; “Em Bola Dividida”.

Eu Não Estou Falando; “Com As Paredes”.

Eu Não Lambo Prato;Em Que Outro Come”.

Eu Não Levo Desaforo; “Pra Casa”.

Eu Não Me Arrependo do Que Fiz; “Me Arrependo do Que Não Fiz”.

Eu Não Me Iludo; “Com Pouca Coisa”.

Eu Não Me Vendo; “Barato”.

Eu Não Nasci; “Ontem”.

Eu Não Pego Em Bosta; “Nem No Escuro”.

Eu Não Quero Ouvir; “Nenhum Piado”.

Eu Não Rezo; “Pela Mesma Cartilha”.

Eu Não Sou Água; “Que Só Se Procuram Na Hora da Sede”.

Eu Não Sou; “Saco de Pancadas”.

Eu não tenho; “a mão furada”.

Eu não tenho; “o rabo preso”.

Eu Não Tenho; “Sangue de Barata”.

Eu não tenho; “um pau pra dar num gato”.

Eu não tenho; “um pinto para dar água”.

Eu Não To; “Azilado”.

Eu Não Vejo; “Com Bons Olhos”.

Eu Não Vou Azedar; “O Teu Leite”.

Eu Não Vou Botar; “Azeitona Na Tua Empada”.

Eu Não Vou Entrar; “No Teu Jogo”.

Eu Não Vou Entregar A Rapadura; “As Formigas”.

Eu Não Vou Entregar; “A Mão A Palmatória”.

Eu Não Vou Entregar; “O Jogo”.

Eu não vou ficar; “Engolindo Mosca

Eu Não Vou Ficar Urrando; “Nem Rastejando”.

Eu Não Vou Mais; “Pagar Micos”.

Eu Não Vou Pagar O Milho;Que A Cabra Comeu”.

Eu Não Vou Pagar Pedágio; “Pra Carro de Bacana”.

Eu Não Vou Segurar A Cabra; “Pra Outro Mamar”.

Eu Não; “Engulo Sapo”.

Eu Não; “Respondo Por Mim”.

Eu Não; “Sou Trouxa”.

Eu Posso Fazer; “O Que Bem Me Der Na Telha”.

Eu Posso Ser Cadela; “Porem Tu Não Late Menos”.

Eu Queimei A Ponte Pra Ele Não Passar Mais; “Pra Este Lado”.

Eu Sei Por Quem; “Os Sinos Dobram”.

Eu Sei; “Esperar”.

Eu só quero pegar; “o fio da meada”.

Eu Sou Cego; “Surdo E Mudo”.

Eu Te Conheço; “De Outros Carnavais”.

Eu To Falando; “Com Os Meus Botões”.

Eu Vou Atirar Nele; “Antes Que Lê Atire Em Mim”.

Eu Vou Dar; “Um Tempo”.

Eu Vou Levantar; “Acampamento”.

Eu Vou Num Pé; “E Volto No Outro”.

Eu Vou Rodar; “A Baiana”.

Eu; “Fui”.

Existe Gente Pra Tudo E Ainda Sobra Um; “Pra Cavalo do Cão”.


F

Faça Bom; “Proveito”.

Faça O Que Eu Mando; “Não Faça O Que Eu Faço”.

Faça Por Onde; “Merecer”.

Fala de Uma Vez; “Ou Te Cala Para Sempre”.

Fala Mais do Que; “Papagaio”.

Falar é fácil; “Difícil é fazer”.

Falar É Fôlego; “Cagar É Força”.

Falar É Uma Coisa; “Fazer É Outra”.

Falou Na Sala; “Pagou Na Cozinha”.

Falou O Que; “Não Devia”.

Falou Pouco; “Más Falou Bonito”.

Favor; “Não Se Paga”.

Faz A Tua Parte; “Que Te Ajudarão”.

Faz O Bem; “Não Repare A Quem”.

Fazei O Bem Aos Próximos; “Que Os Distantes Se Aproximarão”.

Fé em Deus; “E pé na tábua”.

Felicidade Divina; “É Felicidade Dobrada”.

Feliz No Jogo; “Infeliz No Amor”.

Fica Imaginando; “Coisas”.

Ficou A Ver; “Navios”.

Ficou Chupando; “O Dedo”.

Ficou Com A Cara; “No Chão”.

Ficou com uma mão na frente; “E a outra atrás”.

Ficou Corado; “De Raiva”.

Ficou de boca; “Aberta”.

Ficou lambendo; “Os beiços”.

Ficou Na; “Pindaíba”.

Ficou Na; “Saudade”.

Ficou O Dito; “Pelo Não Dito”.

Ficou Vendo; “A Banda Passar”.

Filho de Peixe; “É Peixinho”.

Filhos Criados; “Trabalhos Dobrados”.

Filhos São Como Pássaros; “Depois de Empenados, Voam”.

Fiz do Limão; “Uma Limonada”.

Fiz Tudo O Que Eu Pude; “E Tudo O Que Sabia”.

Fiz Um Calculo; “E Saiu Um Cálculo”.

Focinho de porco; “Não é tomada”.

Foi a; “Conta Certa”.

Foi a; “Gota D’água”.

Foi agarrado; “No contra pé”.

Foi água; “Na fervura”.

Foi amor; “Á primeira vista”.

Foi assim que Napoleão; “Perdeu a guerra”.

Foi até ao fundo; “Do poço”.

Foi buscar lã; “E voltou tosquiado”.

Foi caminhando como um cordeiro; “caminha para o matadouro”.

Foi como um balde; “De água fria”.

Foi dito; “E feito”.

Foi jogado na cova; “Dos leões”.

Foi mais fácil; “Do que capar um galo”.

Foi tiro; “E queda”.

Foi tudo; “Por água abaixo”.

Foi um banho; “De água fria”.

Foi um Deus; “Nos acuda”.

Foi um golpe; “De mestre”.

Foi um santo; “Remédio”.

Foi um tabefe; “Sem mão”.

Foi um tapa; “Com a mão na luva”.

Foi um tapa; “Olho”.

Foi um tiro; “N’água”.

Foi um tiro; “No escuro”.

Foi um verdadeiro; “Arranca rabo”.

Foi um verdadeiro; “Pandemônio”.

Foi uma punhalada; “Pelas costas”.

Foi uma tacada; “Bem dada”.

Foi uma tacada; “De mestre”.

Foi Zás; “Traz”.

Fuja do gamo; “Não fuja da gazela”.


G

Galinha arisca; “Tem ovo no mato”.

Galinha que acompanha pato; “Morre afogada”.

Galo do vizinho; “Não cisca no meu terreiro”.

Ganhou; “Mas não levou”.

Gato com fome; “Sabão come”.

Gato escaldado; “Tem medo de água fria”.

Gato que dá unhada; “E esconde a unha”.

Gente fina; “É outra coisa”.

Gente ruim tanto cai; “Como derruba os outros”.

Gosta de se fazer; “De importante”.

Gosta de se fazer; “De rogado”.

Gosta de se fazer; “De vítima”.

Guarda contigo; “O que queres só pra ti”.

Guarda para o amanhã; “O que sobra do hoje”.


H

Há males; “Que vem pata o bem”.

Há muito urubu; “Pra pouca carniça”.

Há perigo; “À vista”.

Há quem plante dificuldade; “Pra vender facilidade”.

Há quem só se lembre dos dentes; “Quando dói”.

Há razão que a própria razão; “Desconhece”.

Há sempre um sorriso; “No final de um choro”.

Há sempre uma luz; “No fim do túnel”.

Há sempre uma sandália velha; “Esperando um pé descalço”.

Haja paciência; “Pra aturar”.

Haja saco; “Pra agüentar”.

Haja; “coração”.

Hoje a jiripoca; “Vai piar”.

Hoje é dia do calango; “Comer o rabo”.

Hoje é meu dia; “Amanhã será o teu”.

Hoje ele dá com uma mão; “Amanhã cobra com as duas”.

Hoje não tem; “Pra ninguém”.

Homem não se mede; “Pelo tamanho”.

Homem que é homem; “Não chora”.

Honra as calças; “Que vestes”.

Honra vingada; “Alma lavada”.


I

Importante não é matar a fome “é ensinar fazer o pão”

Isso cheira “a maracutaia”.

Isso é “bandalheira”

Isso é “bandidagem

Isso é boato “barato

Isso é “carne de pescoço”

Isso é “chave de cadeia”

Isso é “conversa fiada

Isso é “disse me disse

Isso é “fogo de capão”

Isso é “guerra de nervos”

Isso é “intriga da posição

Isso é “o menos”

Isso é “o que vamos ver”.

Isso é “ouro de tolo”

Isso é “para quem pode”

Isso é “rosca sem fim”

Isso é “sopa requentada

Isso é “tiro pra derrubar elefante”

Isso é “um divisor de águas”

Isso é “um prato cheio”

Isso é “um presente de grego”

Isso é um “remendo mal costurado”

Isso é “um saco de gatos”

Isso é “um saco sem fundo”

Isso é “uma mala sem alça”

Isso é “uma nuvem passageira”

Isso é “uma vergonha”

Isso incomoda mais “do que serenata de gatos”

Isso já é “um bom começo

Isso não é “desespero de causas

Isso não é “o fim do mundo”

Isso não é “pro teu bico

Isso não ta “certo

Isso vai da “dor de cabeça em prego”

Isso vai dá “o que falar”

Isso vai dá “rabo”

Isso vai dá “samba”

Isso não é “meio de vida”

Isso ninguém “merece”

Isso vai terminar “em pizza”


J

Já capou “o gato”

Já comi toucinho “com mais cabelo”

Já jogou “a toalha”

Já laçou “o boi”

Já levou “o destempero”

Já pendurei “as chuteiras”

Já ta “com os dias contados”

Já ta com o pé “na cova”

Já ta comendo “com as mãos”

Já ta de bom “tamanho

Já vai “tarde”

Já vesti “o pijama”

Já virou “farelo”

Jamais “me passou pela cabeça”

Jogo é jogo “treino é treino”

Julgue com a razão “e ame com o coração”

Juntinhos “como dois pombinhos”

Juntou a fome “com a vontade de comer”


L

Ladrão que disso cuida “disso usa

Ladrão que rouba ladrão “tem cem anos de perdão”

Ladrão só “puta só”

Lamentar “não adianta”

Larga do meu pé “chulé”

Larga esse “osso”

Lavou de cabo “a rabo”

Leva tudo “ao pé da letra

Levanta sacode a poeira “e dá a volta por cima”


M

Macaco que coça o rabo “cedo ou tarde cheira o dedo

Macaco que pula de galho em galho “acaba perdendo o pulo”

Macaco velho “não mete a mão em cumbuca

Macacos “me mordam”.

Madrasta “o diabo arrasta

Mães são todas iguais “só mudam os endereços”

Mais dias, menos dias; “vai acontecer”.

Mais tem deus pra dar “do que o diabo pra levar”

Mais vale quem deus ajuda “do que quem cedo madruga”

Mais vale um amigo na praça “do que dinheiro na caixa”

Mais vale um bom conselho “do que um bom dinheiro”

Mais vale um cachorro amigo “do que um amigo cachorro”

Mais vale uma esperança tarde “do que um desengano cedo”

Maltrata “mas não debocha”

Manda quem pode “obedece quem tem juízo”

Matar o elefante é fácil; “difícil é carregar o cadáver”.

Matei dois coelhos “com uma cajadada só”

Mateus “primeiro os teus

Me “poupe”

Me botou contra “a parede”

Me botou de cara “coma fera”

Me botou sal “na moleira”

Me chutou “para escanteio”

Me diz com quem andas “que eu te direi quem és”

Me engana “que eu gosto”

Me recuso “acreditar”

Me virou “de cabeça pra baixo"

Mede as palavras “antes de falar”

Meia “só pros pés”

Mergulhou “de cabeça

Meti a mão “num vespeiro”

Mexi na casa “de marimbondos”

Morde “a língua”

Mudou da água “pro vinho”

Muita promessa “é sinal de pouco milagre”

Muito vento “é sinal de pouca chuva”

Mulher apaixonada “é mulher abobalhada

Mulher é como papel de escritório “se não botar peso em cima voa”

Mulher no volante “perigo constante”

Mulher quanto mais sonsa “mais onça”.


N

Na briga da pedra com o mar “o mar vence pela paciência”.

Na briga de cachorro grande “pequinês nem rosna”.

Na briga de marido e mulher “ninguém mete a colher”.

Na cabeça de quem “caiu a carapuça”.

Na casa de ferreiro “o espeto é de pau”.

Na casa de malandro “vagabundo não pede emprego”.

Na duvida “a razão”.

Na falta de tu “é tu mesmo”.

Na guerra “urubu é frango”.

Na hora da agonia “qualquer santo é santo”.

Na hora mais precisa “cadê você”.

Na minha lagoa “sapo de fora não coacha”.

Na porta de surdo “não adianta bater”.

Na precisão “é que se conhece o patrão”.

Na terra de cego “quem tem um olho é rei”.

Na terra de sapo “de cócoras com ele”.

Na vida é tudo “no seu devido tempo”.

Na vida tudo se acaba “só amar a deus que não”.

Nada comentas “com mulheres ciumentas”.

Nada melhor do que “um dia a traz do outro”.

Nada na vida “é definitivo”.

Nada paga “a ingratidão”.

Nada porem é “definitivo”.

Nada se aprende coma as vitórias “tudo o que sobrou”.” tudo se aprende com as derrotas”.

Nada se conserta “se não souber o que quebrou”.

Nada se cria “tudo se transforma”.

Nada se resolve “a ferro e a fogo”.

Nada ta tão ruim “que não possa piorar”.

Não a dinheiro que pague “a felicidade”.

Não abra o baú “se não quer ver o que tem dentro”.

Não abusa “da sorte”.

Não acerta teu relógio “pelo meu”.

Não adianta chorar “pelo leite derramado”.

Não adianta dar chão “se não der grão”.

Não adianta dizer “que pau é pedra”.

Não apague com o cotovelo “o que escreveste com a mão”.

Não atiça o fogo “se não queres te queimar”.

Não bata na porta “errada”.

Não bota mais peso “na minha cangalha”.

Não bote a carroça “adiante dos bois”.

Não bote a pólvora “perto do fogo”.

Não bote lenha “na fogueira”.

Não bote na minha boca “palavras que eu não quero falar”.

Não brinque “com coisa seria”.

Não chega “nem perto”.

Não comeste manga “com febre”.

Não compro gato “por lebre”.

Não confia em sapato “de defunto”.

Não confia gentileza “com gente lesa”.

Não confio “em muitas promessas”.

Não confunda alho “com bugalho”.

Não confunda barafunda “com barra funda”.

Não confunda liberdade “com confiança”.

Não confunda tromba de elefante “com conta gotas”.

Não conseguir pregar “o olho”.

Não conte com a roupa “do defunto”.

Não conte com o ovo “antes de a galinha botar”.

Não corta o meu “barato”.

Não crio cobra “pra me engolir”.

Não crio leitão “pra engordar barão”.

Não cuspa no prato “que comes”.

Não cutuca a onça “com vara curta”.

Não dá “nem pra imaginar”.

Não dá “pra confiar”.

Não dá “pra esquecer”.

Não da mais “pra segurar”.

Não da pra consertar “sem saber o que quebrou”.

Não da pra ficar cozinhando “um bode preto”.

Não da pra fingir “que não veja”.

Não dê as costas “para o inimigo”.

Não dê com a mão direita “o que a esquerda veja”.

Não dê o passo “maior que as pernas”.

Não deboche “dos bem intencionados”.

Não deixa botar o pé “no teu pescoço”.

Não deixa cair “no esquecimento”.

Não deixa o cabrito morrer “nem a onça passar fome”.

Não deixa o caldo “entornar”.

Não deixa o camelo “subir no beduino”.

Não deixa o tempo “passar”.

Não deixa passar “em brancas nuvens”.

Não deixa pra manha “o que podes fazer hoje”.

Não deixe a peteca “cair”.

Não descubra um santo “pra cobrir um outro”.

Não desejes para o outro “o que não queres para ti”.

Não despreze o amor velho “pelo novo”.

Não dispenso pato por gordo “nem peru por carregado”.

Não dou asas “para urubu voar”.

Não dou murro “em ponta de faca”.

Não dou o meu braço “á torcer”.

Não duvide do cão “que manqueja”.

Não é à toa “que as coisas acontecem”.

Não é bom “duvidar”.

Não é muito “mais ajuda”.

Não é sangria “desatada”.

Não é só doença “que mata”.

Não engordo sapo “pra cobra comer”.

Não és rei “nem tua palavra é lei”.

Não espere cair do céu “a não ser a chuva”.

Não esta mais aqui “quem falou”.

Não estais com toda “essa bagagem”.

Não estais com toda “esta bola”.

Não estou com a espada “sobre a cabeça”.

Não estou com o meu pai “na forca”.

Não estou falando “grego”.

Não estou falando com os porcos “estou falando com o dono deles”.

Não faça mal a ninguém “na Fiúza de viver bem”.

Não foi isso “que pedi a deus”.

Não fui consultado, nem ouvido “e nem cheirado”.

Não gabo “o gosto”.

Não há bom “sem defeito”.

Não há esperança “sem fé”.

Não há injustiça que a lei divina “não corrija”.

Não há mal que se acabe “nem bem que sempre dure”.

Não há quem cuspa pra cima “que não lhe caia no rosto”.

Não inventa “moda”.

Não me “comprometa”.

Não me atiro “de cabeça”.

Não me bota “contra a parede”.

Não me chame “pra mesma mesa”.

Não me deixa com os amigos “do rei”.

Não me enche “o saco”.

Não me enche a cara “de vergonha”.

Não me faça “essa cachorrada”.

Não me faça “rir”.

Não me faça “sair do serio”.

Não me rendo “sem lutar”.

Não me serve “e nem me remedia”.

Não me sujo “com besteira”.

Não me torra “a paciência”.

Não meta a mão “em casa de marimbondos”.

Não meta a sua colher “enferrujada”.

Não meta o bedelho “fedelho0”.

Não meta o nariz “onde não for cheirar”.

Não mije “fora do caco”.

Não passe a mão “na cabeça dele”.

Não se perdeu “quase nada”.

Não pergunte se não quer “ouvir a resposta”.

Não piso no cadáver “do inimigo”.

Não planto bananeira “pra outro comer o cacho”.

Não podia “ser pior”.

Não podia ficar sentado “esperando a morte chegar”.

Não ponha os pés “adiante das mãos”.

Não posso me dar “ao luxo”.

Não prepare a couve “antes da carne”.

Não procure agulha “no palheiro”.

Não procure piolho “em cabeça de cavalo”.

Não prometas hoje “o que não podes cumprir amanha”.

Não puxa “o meu tapete”.

Não queimaram minha língua “com papa”.

Não quer ter “saúde”.

Não quer ter “vida longa”.

Não quero saber quem pagou a conta “quero saber do troco”.

Não quero saber quem pintou a zebra “quero o resto da tinta”.

Não quiseste me ouvir “agora é tarde”.

Não respondo “por mim”.

Não sabes com quem “estás te metendo”.

Não se abarca o mundo “coma as pernas”.

Não se amarra cachorro “com lingüiça”.

Não se arma a arapuca “quando o passarinho ta olhando”.

Não se arruma a casa “da cozinha pra sala”.

Não se bota a raposa “pra tomar conta do galinheiro”.

Não se cata piolho “com a mão na luva”.

Não se culpa a janela “pela paisagem”.

Não se faz gentileza “com o chapéu dos outros”.

Não se faz omelete “sem quebrar os ovos”.

Não se julga sem dados “pra depois não ser julgado”.

Não se nada tanto para depois “não morrer na beira”.

Não se nomeia “quem não se pode demitir”.

Não se perde nada “quando se sabe aproveitar tudo”.

Não se pode “elogiar”.

Não se tapa o sol “com a peneira”.

Não se tolda a água “para depois beber”.

Não se toma chá “com garfo”.

Não se varre o lixo “pra debaixo do tapete”.

Não se zomba “da desgraça alheia”.

Não seguro a cabra “pra outro mamar”.

Não sei e não quero saber “e tenho raiva de quem sabe”.

Não sei por que “cargas d´água”.

Não sofra “por antecipação”.

Não sou “Amélia”.

Não sou “estepe”.

Não sou “palhaço”.

Não sou boi “de piranhas”.

Não sou cuscuz “pra ser cozido com bafo”.

Não sou dono do mundo, mas sou filho “do dono do mundo”.

Não sou gato “que vomita depois engole”.

Não sou guardanapo “onde todos enxugam a mão”.

Não sou maxixe “que da o rabo pra pelar”.

Não sou molambo “pra encher tripa de Judas”.

Não sou saco “de pancadas”.

Não ta dando conta “do recado”.

Não te apóia “em galho fraco”.

Não te encosta em arvore “que não tem boa sombra”.

Não te faz “de inocente”.

Não te faz “de sonso”.

Não te mete em política “sem dinheiro”.

Não te mete onde “não for chamado”.

Não te preocupa com a carga “te preocupa com a carroça”.

Não tem a real dimensão “da coisa”.

Não tem amor pequeno “quando a alma não é pequena”.

Não tem como “escapar”.

Não tem dia “e nem hora”.

Não tem eira “nem beira”.

Não tem idade “pra felicidade”.

Não tem mais “e nem menos”.

Não tem o que fazer “nem em casa”.

Não tem onde “caie morto”.

Não tem parente “e nem aderente”.

Não tem um pau “pra da num gato”.

Não tenha o olho “maior que a barriga”.

Não tenho a mão “furada”

Não tenho cabeça “pra nada”.

Não tenho cabeça “só pra piolho”.

Não tenho medo “de caretas”.

Não tenho o que quero “mais tenho o que posso”.

Não tenho o rabo “preso”.

Não tenho os olhos “tapados”.

Não tenho pra onde “apelar”.

Não tire conclusões “apressadas”.

Não tire o lho do negocio “nem a mão da massa”.

Não to “brincando”.

Não to com a corda “no pescoço”.

Não to coma faca “na garganta”.

Não vá “amarelar”.

Não vá com muita sede “ao pote”.

Não vá dar vexame, não vá dormir “de toca”.

Não vai “pisar na bola”.

Não vai dar “outra coisa”.

Não vai ter “como esconder”.

Não vale o pirão “que come”.

Não vale o que o gato “enterra”.

Não vale um tostão “furado”.

Não vou botar azeitona “na tua empada”.

Não vou criar galinha “pra da pinto pra ninguém”.

Não vou criar jia “pra cobra comer”.

Não vou dá “mole”.

Não vou dar “de mão beijada”.

Não vou deixar “barato”.

Não vou deixar “por menos”.

Não vou entregar o ouro “ao bandido”.

Não vou ficar chupando “os dedos”.

Não vou ficar olhando “pro próprio umbigo”.

Não vou matar o boi “nem deixar o freguês sem carne”.

Não vou me perdoar “nunca”.

Não vou navegar “em vôo cego”.

Não vou pagar o milho “que a cabra comeu”.

Não vou plantar horta “no quintal do vizinho”.

Não vou quebrar meu copo “pra depois beber na cuia”.

Negocio com agiota “é coisa pra idiota”.

Negro quando pinta “já tem três vezes tinta”.

Nem “morto”.

Nem “pensar”.

Nem “por brincadeira”.

Nem Deus “agradou a todos”.

Nem esperou a missa “do sétimo dia”.

Nem esperou o cadáver “esfriar”.

Nem esperou o fel “espocar”.

Nem me passa pela cabeça “tal pensamento”.

Nem que a banda “toque”.

Nem que a vaca “tussa”.

Nem que corte “o meu pescoço”.

Nem que eu tenha que vender “alma para o diabo”.

Nem que o diabo “toque rebeca”.

Nem que o leite “azede”.

Nem que seja a ultima coisa “que eu faça”.

Nem toda a escrita se apaga “passando a borracha”.

Nem toda pergunta “tem resposta”.

Nem todo gato “é pacato”.

Nem todo soldado “quer ir pra guerra”.

Nem todo sonho “termina em pesadelo”.

Nem todos os meios “justificam os fins”.

Nem tudo “está perdido”.

Nem tudo está perdido “quando se sabe aproveitar”.

Nem tudo que balança “cai”.

Nem tudo que brilha “é ouro”.

Nem tudo santo “nem tudo diabo”.

Nem tudo terra “nem tudo mar”.

Nem vem “que não tem”.

Nenhum rei “quer ficar nu”.

Nessa historia “tem dente de coelho”.

Nessa onda “eu não me atiro”.

Nesse barco “eu não embarco”.

Neste mundo “ate as pedras se encontram”.

Ninguém aprende nadar “fora d´água”.

Ninguém bota a sorte “na porta de ninguém”.

Ninguém dá ponto “sem nó”.

Ninguém é cão “sem dono”.

Ninguém é defunto “sem choro”.

Ninguém ensina padre-nosso “a vigário”.

Ninguém mete prego “sem estopa”.

Ninguém morre “antes do tempo”.

Ninguém nasce antes do tempo “e nem a morte antes da hora”.

Ninguém perde “por esperar”.

Ninguém pergunta o que vai fazer “pergunta o que vai ganhar”.

Ninguém pode ser bom “o tempo todo”.

Ninguém ri “da desgraça alheia”.

Ninguém sabe o que o amanha “nos reserva”.

Ninguém sabe; o que o calado “quer”.

Ninguém se afoga “em pouca água”.

Ninguém se esconde “da morte”.

Ninguém se sacrifica “à toa”.

Ninguém ta livre da inveja “e nem do invejoso”.

Ninguém toca gaita “comendo farinha”.

No lodo também nascem “flores bonitas”.

No meu terreiro “pinto não canta de galo”.

No pé que não calça a minha meia “não calça o meu sapato”.

No principio são flores “a choradeira é no fim”.

Nó que eu dou; “eu sei desmanchar”.

No território inimigo “só se entra de olhos abertos”.

Noticia ruim não anda “voa”.

Nunca abuse da boa vontade “dos amigos”.

Nunca deixe de ouvir a voz “de tua consciência”.

Nunca diga desse pão eu não como “e dessa água não bebo”.

Nunca é tarde “pra amar”.

Nunca tripudie sobre a desgraça “dos mais fracos”.


O

O alheio “chora o seu dono”.

O amanha “a deus pertence”.

O amor “com amor se paga”.

O amor “é lindo”.

O amor só é sublime “para quem sabe amar”.

O angu quando desanda “nem reza braba faz engrossar”.

O apressado “come cru”.

O azarado tem o seu dia “de sorte”.

O bicho “sou eu mesmo”.

O bicho “pega”.

O bicho “vai pegar”.

O boi manso "mata o dono”.

O boi não é “só filé”.

O boi solto “se lambe todo”.

O bom cabrito “não berra”.

O bom filho “sempre volta à casa dos pais”.

O bom julgador “por si se julga”.

O bom malandro “não estrila”.

O bom político tem que ter “boa lábia, muito dinheiro e pouca vergonha”.

O cachorro só quer encontrar “a porta aberta”.

O caminho do feio “é por onde veio”.

O castigo “anda a cavalo”.

O cesteiro que faz um cesto “faz um cento”.

O ciúme tira a visão “e maltrata o coração”.

O coração de mãe “não se engana”.

O costume de casa “vai à praça”.

O crime “não compensa”.

O desconfiado “ainda esta vivo”.

O desengano a vista “é furar o olho”.

O destino prega “cada peça”.

O dia da fartura “é véspera da fometura”.

O diabo ajuda “os seus”.

O diabo não é tão feio “como se pinta”.

O diabo pinta “e repinta”.

O diabo quando quer cair “se trepa”.

O diabo tem sete capas “seis cobre e uma descobre”.

O embrulho saiu melhor “do que a encomenda”.

O fim do muito exaltado “é muito humilhado”.

O galo onde canta “janta”.

O gato comeu “a tua língua?”.

O gato tá subindo “no telhado”.

O gato tem “sete fôlegos”.

O homem muda de mulher “más não muda se estrela”.

O homem põe “e deus dispõe”.

O inferno “é aqui mesmo”.

O mal do sabido “é pensar que o resto é besta”.

O mal feito “não tem dono”.

O mal por si “se destrói”.

O mar não ta “pra peixe”.

O mato tem olhos “e paredes tem ouvidos”.

O medo às vezes “bota armas em nossas mãos”.

O medo se faz “do tamanho que a gente quer”.

O melhor da festa “é esperar por ela”.

O momento “é agora”.

O mundo “da muitas voltas”.

O mundo “é o melhor mestre”.

O mundo não é tão pequeno que não caiba sua população “más não é tão grande que alguém possa neles se esconder”.

O mundo não vai acabar “hoje”.

O orgulho "faz tropeçar”.

O ovo de hoje vale mais “do que a galinha de amanha”.

O panema tem o seu dia “de pesca”.

O pão do pobre só cai “de manteiga pro chão”.

O papagaio come o milho “o periquito leva a fama”.

O passado é um fantasma ainda que morto “esta presente como assombração para muitos”.

O pau que nasce torto “morre torto”.

O pau cantar “na casa Noca”.

O pensamento dos outros “é terra que ninguém anda”.

O perdido “a metade é lucro”.

O pior cego “é o que não quer ver”.

O pobre quando descansa “carrega pedra”.

O pobre só vai pra frente “quando tropeça”.

O pobre só vive “de teimoso”.

O porco sabe o pau “em que se esfrega”.

O porteiro “morreu pisado”.

O pouco com Deus é muito “o muito sem deus não é nada”.

O pouco que tenho satisfaz mais que “o muito que possa desejar”.

O povo aumenta “mais não inventa”.

O povo “é o melhor juiz”.

O povo tem a memória “curta”.

O povo tem o governo “que merece”.

O preço da liberdade “é a eterna vigilância”.

O prevenido “manga do tempo”.

O que começa errado “termina errado”.

O que da pra rir “dá pra ringir”.

O que é bom “dura pouco”.

O que é bom pra alma “faz bem pro coração”.

O que é de gosto “regala ávida”.

O que é proibido “todo mundo gosta”.

O que é que não se faz “por amor”.

O que é que não se faz “por um amigo”.

O que é que tem o bumbum “com as calças”.

O que “fazer”.

O que os olhos não vêem “o coração não deseja”.

O que tiver de ser “será”.

O que tiver de ser meu “vem as minhas mãos”.

O que vem de baixo “não me atinge”.

O raio não cai duas vezes “no mesmo lugar”.

O risco que corre o pau “corre o machado”.

O roto não fala mal “do remendado”.

O saco do ter “nunca enche”.

O sapo é quem gaba “o lago”.

O segredo “é a alma do negócio”.

O seguro “morreu de velho”.

O silencio “não comete enganos”.

O sono “é companheiro da morte”.

O sorriso “é a alma da felicidade”.

O sorriso “é bálsamo pra qualquer dor”.

O sucesso e gloria “que incomoda”.

O tempo “é senhor da razão”.

O tempo é curto “a espera é longa”.

O tiro saiu “pela culatra”.

Obstáculo nunca termina “só muda de tamanho”.

Olha a minha cara “de preocupado”.

Olha primeiro “pro teu rabo”.

Ontem eras estilingue “hoje és vidraça”.

Ontem eu chorava e tu sorrias “hoje é a tua vez de chorar”.

Ontem eu dava um braço e uma perna “hoje não dou um fio de cabelo”.

Ontem valia um milhão “hoje não vale um tostão”.

Opinião “não se discute”.

Ora “bolas”.

Ora me compra “um bode”.

Os cães ladram “e a caravana passa”.

Os fatos gritam “por si só”.

Os filhos da minha filha meus netos são “do meu filho serão ou não”.

Os incomodados “e que se mudam”.

Os meus amigos não têm defeitos “os meus inimigos se não tiverem eu boto”.

Os velhos de hoje são os jovens de ontem “que serão os velhos de amanha”.

Os vermes procuram “as suas sarjetas”.

Ou caga “ou sai de trás da moita”.

Ou dá “ou desce”.

Ouviu poucas “e boas”.

Ouvistes o galo cantar “só não sabe onde”.

Olha “quem fala”.

O perigo “mora ao lado”.

Os lobos só atacam “quando famintos”.

O pau “te acha”.

O que é teu “já está guardado”.

O passarinho empenou “já esta deixando o ninho”.

O diabo “atenta”.

O destino “é senhor”.

O que será do amanha “responda quem souber”.

O peixe começa apodrecer “pela cabeça”.

Onde fui “me meter”.

O sol nasce para todos “más sombra é para poucos”.

O beijo amigo “é a véspera do escarro”.

O impossível “acontece”.

O defunto voltou “pro jogo”.

O medo serve pra alguma coisa “a covardia não serve pra nada”.

O mal “não produz bem algum”.

Os tropeços “são as afirmações da vida”.

O circo “está armado”.

O vinho é como o amor “quando azeda estraga”.

O barco ta “afundando”.

O barco ta “indo á pique”.

O que hoje é impossível “amanha não pode ser tanto”.

O ciúme e o ódio “não são bons conselheiros”.

Os rios não correm em linhas retas “em direção aos mares”.

Os rios conseguiram os seus objetivos “porque souberam contornar os obstáculos”.

O que ele fala “é só da boca pra fora”.

O cachorro é o melhor amigo do homem “porque não conhece dinheiro”.

O troféu da conquista é um “o da cobrança é outro”.

O macaco só olha pro rabo do parceiro porque é comprido “mas não sabe o tamanho do seu”.


P

Paciência “tem limite”

Padre surdo “não confessa”.

Paga “leve”.

Paga o justo “pelo pecador”.

Paixão mal sucedida “maltrata mais não mata”.

Pancada dada “nem Deus tira”.

Pancada de amor “não dói”.

Pancada grande “é que mata cobra”.

Panela que muitos mexem “estraga o tempero”.

Panela velha “é que faz comida boa”.

Papagaio velho “não aprende a falar”.

Para o bom leitor “vírgula é letra”.

Para o bom pagador “não se cobra fiador”.

Para o mal do amor o melhor remédio “é o tempo”.

Para Pedro “Pedro para”.

Para pessoas elegantes “menos é mais”.

Para um bom entendedor, “meia palavra basta”.

Parece alma “penada”.

Parece maniçoba de pobre “só bucho”.

Parece marido enganado “que é o ultimo a saber”.

Parece pipa “só rabo”.

Parece que tem um rei “na barriga”

Parente vem no pacote “amigo a gente escolhe”.

Partiu desta vida “pra melhor”.

Passa pra frente “que atrás vem gente”.

Pássaro molhado “não voa”.

Pecado de pregador é mais grave do que “pecado de pecador”.

Pede mais do que “filho de cigano”.

Pedra que muito rola “não cria limo”.

Pega o bicho “pra capar”.

Peixe é pro fundo “das redes”.

Pela cara se conhece “que tem lombriga”.

Pelas barbas “do profeta”.

Pelas costas “só conheço jabuti”.

Pelo andar da carruagem “as melancias se ajeitam”.

Pelo grito “se conhece o cabrito”.

Pelo santo “se beija o altar”.

Pelo sim ou pelo não “não se tira a razão”.

Pelos meus direitos “vou ate o fim do mundo”.

Pendura no prego “mais alto”.

Pensa bem “no que vaio fazer”.

Pensando “morreu o burro”.

Perca a cabeça “mais não perca o juízo”.

Perdão “foi feito pra gente pedir”.

Perder é resultado “que ninguém aceita”.

Perder faz parte “do jogo”.

Perdeste “a língua?”.

Perdeu a oportunidade “de ficar calado”.

Perdido por um “por mil”.

Perguntar “não ofende”.

Pernas “pra que te quero”.

Perto de quem come “e longe de quem trabalha”.

Pior a emenda “do que o soneto”.

Pior do que “bombom de alho”.

Pior do que “galinha choca”.

Pior do que “praga de mãe”.

Pior do que “praga de mulher baixinha”.

Pior do que “praga de padre”.

Pior do que esta “não pode ficar”.

Pior que “conra canina”.

Pisei numa “jaca mole”.

Pisou no meu pé “leva catolé”.

Pode “apostar”.

Pode arrancar “o cabelo da venta”.

Pode espernear “à vontade”.

Pode rosnar “à vontade”.

Pode tirar o seu cavalinho “da chuva”.

Pode vir quente “que eu estou fervendo”.

Podes “escrever”.

Podia muito bem “dormir sem essa”.

Policia é como criança “perto incomoda, longe faz falta”.

Por cauda de um coice “não se corta a pata do animal”.

Por falta de um grito “se perde uma boiada”.

Por trás de m grande homem “sempre tem uma grande mulher”.

Por trás dessa cara de anjo “se esconde uma alma de demônio”.

Porque “logo agora”

Porque toda “essa tromba”

Pouca felicidade “pra muita espera”.

Pra acabar a farra “boto o meu bloco na rua”.

Pra baixo “todos os santos ajudam”.

Pra mim “é indiferente”.

Pra mim “tanto faz”.

Pra que chutar “cachorro morto”.

Pra que defunto “com luxo”.

Pra que pobre “com baú”.

Pra que pobre “com grandeza”.

Pra tudo “tem hora certa”.

Praga de urubu “não mata cavalo”.

Preces pra quem morre “é mesmo que luz pra cego”.

Prenda suas cabritas “que meus bodes estão soltos”.

Primeiro a obrigação “depois a devoção”.

Procura a tua “turma”.

Promessas “não pagam dividas”.

Promete mundos “e fundos”.

Puxaram “o meu tapete”.


Q

Qualquer ajuda “é bem vinda”.

Qualquer aventura “é uma aventura”.

Qualquer dia “é dia”.

Qualquer semelhança “é pura consciência”.

Quando a cabeça não pensa “o corpo padece”.

Quando a cirurgia salva “a burocracia mata”.

Quando a desgraça tarda “já vem no meio do caminho”.

Quando a desgraça vem pro pobre “não vem a prestação”.

Quando a esmola é grande “o santo desconfia”.

Quando a farinha é pouca “o meu pirão primeiro”.

Quando a mata é virgem; “o vento é fresco”.

Quando a necessidade entra pela porta; “o amor sai pela janela”.

Quando a roda da pra trás “não há freio que segure”.

Quando as luzes se apagam; “é que se conhece as mariposas”.

Quando brigam as comadres “se descobre as verdades”.

Quando casar “passa”.

Quando da eu sei “mas quando não da eu digo”.

Quando da pra mim é meu; “quando da pro vizinho bato palmas”.

Quando deus da a farinha “o diabo vem e rasga o saco”.

Quando deus não quer “não tem santo que ajude”.

Quando estava na castanha “eu já estava com o caju”.

Quando menos se espera “o diabo aparece”.

Quando morre o afilhado “acaba o compadresco”.

Quando morre o homem “fica a sua fama”.

Quando morre o papa “se elege outro papa”.

Quando não se pode matar o inimigo “se bota dentro de casa”.

Quando o diabo não vem “manda o secretario”.

Quando o fogo esta perto da estopa; “vem o diabo e sopra”.

Quando o gato sai; “os ratos fazem a festa”.

Quando o mal não é de morte “água pura cura”.

Quando o remédio trata “o preço mata”.

Quando os meus males foram velhos “os teus serão novos”.

Quando sair “feche a porta”.

Quando se ama “as diferenças não contam”

Quando se mata a sede; “pra matar a fome é um pulo”.

Quando se recorda o passado “se ressuscita o defunto”.

Quando se sai de casa; “se deixa o mau costume atrás da porta”.

Quando sou bom sou bom; “quando sou ruim sou melhor ainda”.

Quando todos estão equivocados “todos estão com razão”

Quando um burro fala; “o outro marcha as orelhas”.

Quando urubu ta de azar “o debaixo suja o de cima”.

Quando veres a barba do vizinho arder; “põe a tua de molho”.

Quanto maior a altura; “maior é o tombo”.

Quanto maior for o pau; “maior é a queda”.

Quanto mais distante; “mais apaixonante”.

Quanto mais eu me benzo; “mais assombração aparece”.

Quanto mais fazemos; “menos, merecemos”.

Quanto mais for sinuoso o caminho; “mais gloriosa será chegada”.

Quanto mais se mexe na bosta; “mais ela fede”.

Quanto menos somos; “melhor passamos”.

Que a fama e a grandeza; “não te subam a cabeça”.

Que bicho; “te mordeu”.

Que cada cristo; “carregue a sua cruz”.

Que diabo; “está acontecendo”.

Que não te esqueças; “do dia de ontem”.

Que seja eterno; “enquanto dure”.

Que situação; “é esta”.

Quebrou; “dentro”.

Quebrou; “o encanto”.

Quem a rosa ama; “não tem medo dos espinhos”.

Quem aceita o cargo; “aceita o encargo”.

Quem acende uma vela pra Deus e outra pro diabo; “queima o rabo”.

Quem acha besta; “não compra cavalo”.

Quem anda pra trás; “é caranguejo”.

Quem avisa; “amigo é”.

Quem bate coma mão; “apanha pela metade”.

Quem bate esquece; “quem apanha padece más não esquece”.

Quem boa cama faz; “nela se deita”.

Quem brinca com gogo; “acaba se queimando”.

Quem cabra não tem e cabrito come; “é de alguém”.

Quem caça; “caça esperança”.

Quem cala; “consente”.

Quem calça o sapato; “é que sabe onde aperta”.

Quem canta; “não assobia”.

Quem canta; “seus males espanta”.

Quem casa; “faz casa”.

Quem cochicha; “o rabo espicha”.

Quem com facilidade mente; “com facilidade rouba”.

Quem com fero fere; “com ferro será ferido”.

Quem com muitas pedras bole; “uma lhe da na cabeça”.

Quem com porco se mistura; “farelo come”.

Quem com puta casar; “com puta vivera”.

Quem come a carne; “tem que lamber os ossos”.

Quem come a galinha magra do rei; “paga com a gorda”.

Quem come do meu pão; “paga no meu cinturão”.

Quem compra o pudim; “tem direito de lamber o prato”.

Quem conta um conto; “aumenta um ponto”.

Quem corre atrás de dois; “acaba pendendo um ou os dois”.

Quem corre cansa; “quem espera alcança”.

Quem cria cobra; “tem que dar o mocotó pra morder”.

Quem da aos pobres; “empresta a Deus”.

Quem dá o que tem; “a pedir vem”.

Quem de deus é protegido; “nunca será vencido”.

Quem de uma escapa; “cem anos vive”.

Quem dera que a vida fosse; “como a gente pensa”.

Quem descasca a ferida; “se sujeita a recaída”.

Quem desdenha; “quer comprar”.

Quem deve a deus; “paga ao diabo”.

Quem diz o que quer; “ouve o que não quer”.

Quem dorme com cães; “amanhece com pulgas”.

Quem dorme; “não faz despesa”.

Quem dorme; “sempre descansa”.

Quem é bom; “já nasce feito”.

Quem é roto; “carrega a sua funda”.

Quem empresta; “não presta”.

Quem espera; “sempre alcança”.

Quem esta vivo; “sempre aparece”.

Quem fala; “às vezes é ouvido”.

Quem faz de cachorro gente; “fica com o rabo na mão”.

Quem faz filho na mulher alheia; “perde o feitio”.

Quem fica atrás da porta; “é vassoura”.

Quem fizer o angu; “que beba”.

Quem for padre; “que se quebre”.

Quem for rei; “nunca perde a majestade”.

Quem gosta de barril; “é cachaça”.

Quem gosta de meia; “é chulé”.

Quem gosta de mim; “sou eu mesmo”.

Quem gosta; “carrega na costa”.

Quem gosta; “torna”.

Quem guarda com fome; “vem o gato e come”.

Quem guarda; “tem”.

Quem inveja; “agüenta”.

Quem já esta morto; “não tem medo da morte”.

Quem já viveu o que eu vivi; “não se admira mais de nada”.

Quem jeito não tem; “viver não pode”.

Quem mata cobra; “tem que mostrar o pau”.

Quem me fez me fez; “outro não me faz”.

Quem me fizer; “que faça bem feito”.

Quem mente e se defende; “quanto mais se defende mais se arrepende”.

Quem morre na véspera; “é porco de festa”.

Quem morre pela boca; “é o peixe”.

Quem muito dorme; “pouco vê”.

Quem muito escolhe; “acaba o pior levando”.

Quem muito fala; “pouco acerta”.

Quem muito pensa; “não casa”.

Quem muito pergunta; “sempre acaba ouvindo muita mentira”.

Quem muito se abaixa; “o fundilho aparece”.

Quem nada tem pra esconder; “nada tem a temer”.

Quem nada tem; “arremediado esta”.

Quem nada tem; “é escravo de quem tem”.

Quem não acha pai em casa; “acha na rua”.

Quem não arrisca; “não petisca”.

Quem não canta; “dança”.

Quem não chora; “não mama”.

Quem não cria e não copia; “espia”.

Quem não cria; “copia”.

Quem não dança; “segura acriança”.

Quem não deve; “não teme”.

Quem não é visto; “não é lembrado”.

Quem não faz parte da banda; “põe a sua viola no saco”.

Quem não faz; “leva”.

Quem não herda e passa bem; “tira de alguém”.

Quem não houve conselho; “quebra a cara”.

Quem não olha pra trás; “não sabe a distancia”.

Quem não pode com o pote; “não pega na rodilha”.

Quem não pode fazer tudo; “faz tudo que pode”.

Quem não quer ter caco; “não arranja quenga”.

Quem não sabe de onde vem; “estraga o que tem”.

Quem não sabe nadar; “não entra na onda do mar”.

Quem não sabe o que quer; “por si se enjeita”.

Quem não sabe; “é como quem não vê”.

Quem não se comunica; “se trombica”.

Quem não se contenta com o pouco; “o muito não lhe satisfaz”.

Quem não te conhece; “que te compre”.

Quem não tem cão; “caça com gato”.

Quem não tem jeito pra parir; “morre de parto”.

Quem não tem o que fazer; “pra alguma coisa dá”.

Quem não tem paciência; “não se salva”.

Quem não trabalha; “atrapalha”.

Quem nasceu pra caranguejo; “só pode viver na lama”.

Quem nasceu pra tatu; “morre cavando”.

Quem nunca comeu mel; “quando come se lambuza”.

Quem o feio ama; “bonito lhe parece”.

Quem oferece flores; “sempre tem as mãos perfumadas”.

Quem oferece o banquete; “é quem paga a despesa”.

Quem pariu Mateus; “que o embale”.

Quem passa bem e não trabalha; “come o pão de alguém”.

Quem pensa; “não faz filho”.

Quem pensou que se benzeu; “quebrou o nariz”.

Quem planta horta; “não planta verdura”.

Quem planta vento; “colhe tempestade”.

Quem pode, pode; “quem não pode se sacode”.

Quem poderia; “imaginar”.

Quem precisa; “é que se espicha”.

Quem procura sarna; “tem que se coçar”.

Quem procura; “acha”.

Quem quebra galho; “é macaco gordo”.

Quem quebra o prato que tem; “come na cuia”.

Quem quer a moça; “mexe na bolsa”.

Quem quer alguma coisa conseguir; “corre atrás”.

Quem quer aparecer; “anda nu”.

Quem quer laçar o cão; “tem que ser gentil com o dono”.

Quem quer muito; “traz de casa”.

Quem quer passar bem; “não sai de casa”.

Quem quer pegar a galinha; “não diz xô”.

Quem quer vai; “quem não quer manda”.

Quem quiser cantar de galo; “não pise no mau calo”.

Quem quiser chegar onde eu cheguei; “que corra”.

Quem quiser ser bom; “que morra”.

Quem rir por ultimo; “ri melhor”.

Quem rouba tostão é ladrão; “quem rouba milhão é barão”.

Quem sabe se um dia; “esta situação muda”.

Quem sabe, sabe; “quem não sabe bate palmas”.

Quem sai pra bater; “leva o saco de apanhar”.

Quem se aluga a são Miguel; “não dorme a hora que quer”.

Quem se mete com criança; “acaba caçado ou mijado”.

Quem se mete na chuva; “tem que se molhar”.

Quem se mete na vida alheia; “se esquece da sua”.

Quem semeia vento; “colhe tempestade”.

Quem sou euzinho; “da silva”.

Quem te viu; “quem te vê”.

Quem tem a costa quente; “zomba da gente”.

Quem tem as pernas curtas; “sai na frente”.

Quem tem boca dura é o xareu; “mais no fogo amolece”.

Quem tem boca; “tem fome”.

Quem tem boca; “vai a Roma”.

Quem tem com que me pague; “não me deve nada”.

Quem tem cú de preá; “não se cãs”.

Quem tem cú; “tem medo”.

Quem tem filho barbado; “é camarão”.

Quem tem fome; “tem pressa”.

Quem tem inimigo; “não dorme”.

Quem tem medo de cagar; “não toma purgante”.

Quem tem medo do mar; “não nada de costa”.

Quem tem medo do vento forte; “é ulher de sai”.

Quem tem medo; “não sai de casa”.

Quem tem o dedo queimado; “não aponta pra ninguém”.

Quem tem padrinho; “não morre pagão”.

Quem tem pena do miserável; “fica no lugar dele”.

Quem tem que chegar cedo; “sai na frente”.

Quem tem que dizer; “não manda recado”.

Quem tem que se esconder; “entra no mato”.

Quem tem rabo de palha; “não senta perto do fogo”.

Quem tem telhado de vidro; “não atira pedra na casa do vizinho”.

Quem tem um; “não tem nenhum”.

Quem tem vergonha; “morre de fome”.

Quem tem vergonha; “não faz vergonha”.

Quem toca o sino; “não assiste a missa”.

Quem trabalha e passa bem; “não come o pão de ninguém”.

Quem tudo quer; “tudo perde”.

Quem vai pra casa; “não se molha”.

Quem vai pra guerra; “não marca o dia do regresso”.

Quem vai pro mar; “se avia em terra”.

Quem vê cara; “não vê coração”.

Quem viu um; “viu todos”.

Quem vive do passado; “é museu”.

Quem viver; “verá”.

Quem “diria”.

Quem; “me dera”.

Querem me enterrar; “vivo”.

Querer é uma coisa; “gostar é diferente”.

Queres conhecer o fulano; “mora com ele”.

Queres conhecer o teu amigo; “precisa dele”.

Queres conhecer o teu parente; “cai doente”.

Queres conhecer tua mulher amanha; “mira bem tua sogra hoje”.

Quero saber; “tim-tim por tim-tim”.


R

Rapadura é doce; “mas não é mole”.

Raposa velha; “não se deixa enganar”.

Raposas velhas; “não brigam pelo mesmo galinheiro”.

Recordar o passado; “é reviver a historia”.

Rei morto; “rei posto”.

Remédio de doido; “é doido e meio.”.

Remenda o teu pano; “que durará mais um ano”.

Renúncia e demissão não se discute; “se aceita”.

Rico; “ri a toa”.

Rir; “desopila o fígado”.

Rir; “é o melhor remédio”.

Ruim com ele “pior sem ele”.

Ruim por ruim; “vote em mim”.


S

Saco vazio; “não se põe em pé”.

Sai da frente; “espelho sem aço”.

Sai da frente; “que a traz vem gente”.

Sai da lama; “jacaré”.

Saiba usar; “o bom senso”.

Saiu atirando; “pra todos os lados”.

Saiu botando fogo; “pelas ventas”.

Saiu com o rabo; “entre as pernas”.

Saiu com uma mão na frente; “e a outra atrás”.

Saiu dando pulos; “de alegria”.

Saiu de "mãos vazias”.

Saiu de mãos; “abanando”.

Saiu de; “mansinho”.

Saiu girando; “a sua metralhadora”.

Saiu pela; “tangente”.

Saiu que ninguém; “viu”.

Saiu sem dizer; “adeus”.

Saiu sem olhar; “pra trás”.

Saiu vendendo azeite; “as canadas”.

Salve-se; “quem poder”.

Santo de casa; “não faz milagre”.

São águas; “passadas”.

São almas; “gêmeas”.

São anjos; “da mesma corte”.

São cartas; “do mesmo baralho”.

São cascas; “do mesmo pau”.

São como sino; “e badalo”.

São como unha; “e carne”.

São devotos; “do quanto pior, melhor”.

São favas; “contadas”.

São figuras; “do mesmo naipe”.

São lembranças; “priscas eras”.

São membros; “da mesma confraria”.

São peixes; “do mesmo aquário”.

São pintos; “da mesma ninhada”.

São santos; “da mesma irmandade”.

São tempos de vaca; “magras”.

São todos; “cachaça do mesmo alambique”.

São todos; “da mesma laia”.

São todos; “da mesma panelinha”.

São todos; “devotos, do mesmo santo”.

São todos; “do mesmo time”.

São todos; “farinha do mesmo saco”.

São todos; “garapa da mesma cana”.

São todos; “mel do mesmo tacho”.

São todos; “sal da mesma combuca”.

São todos; “vinho da mesma pipa”.

Sardinha miúda; “não é camarão”.

Saudade; “não tem idade”.

Se amarra o burro; “no quintal do dono”.

Se conselho fosse bom; “ninguém dava, vendia”.

Se correr o bicho pega; “se ficar i bicho come”.

Se de olhos; “fechados”.

Se depender de mim; “não movo uma palha”.

Se deus é por mim; “quem será contra mim”.

Se é guerra que querem; “é guerra que vão ter”.

Se é isso que tu queres; “depois não te arrepende”.

Se eu morresse hoje; “morreria inocente”.

Se ferradura desse sorte; “cavalo não puxava carroça”.

Se ficar melhor; “estraga”.

Se for a falta de um adeus; “até logo”.

Se ganha o jogo; “jogando”.

Se hoje fez um bom dia; “amanha fará melhor”.

Se Meca não vai a Maomé; “Maomé vai á Meca”.

Se não me disse; “é porque não quer que eu saiba”.

Se não viu; “foi porque não quis”.

Se no comer não encher; “não enche no lamber”.

Se o mal é necessário; “vamos ao sacrifício”.

Se põe a media; “na boca do saco”.

Se põe o dedo na sangria; “pra estancar a hemorragia”.

Se que não vai me estender; “tapetes vermelhos”.

Se retorce mais; “do que cobra na areia quente”.

Sé vendo; “pra acreditar”.

Segredo; “é pra quatro paredes”.

Sei de cor; “e salteado”.

Sei que marquei; “bobeira”.

Seja lá que santo for; “ora pro nobis”.

Seja o que deus; “quiser”.

Sem lenço; “sem documento”.

Sem medo; “de ser feliz”.

Sem rodeios; “e sem meias, palavras”.

Sempre bom; “estar prevenido”.

Sempre é bom uma bofetada; “com luvas de pelica”.

Sempre é bom; “um amigo a mais”.

Senta a beira de rio; “e deixa o cadáver do inimigo passar”.

Separação é como injeção; “depois que a dor passa sara”.

Ser bom; “não é ser besta”.

Será; “o Benedito”.

Seria cômico se não fosse trágico; “seria trágico se não fosse cômico”.

Só come do meu pasto; “gado do meu rebanho”.

Só da; “pro gasto”.

Só damos valor ao que temos; “quando perdemos”.

Só deus sabe; “e ele sente”.

Só é grande; “quem pensa grande”.

Só entra no território inimigo; “de olhos abertos”.

Só falta morrer; “a cova já esta aberta”.

Só fechamos à porta; “depois da casa roubada”.

Só ganha o jogo; Jogando”.

Só os idiotas; “não mudam de idéia”.

Só pode ser; “brincadeira”.

Só pra inglês; “ver”.

Só puxo brasa; “pra minha sardinha”.

Só quer bola no pé; “e goleiro cego”.

Só quer ser a rainha; “da cocada preta”.

Só quer ser o que a folinha; “não marca”.

Só quer ser; “a Gilda”.

Só quer sombra; “e água fresca”.

Só querem me ver; “na pior”.

Só querem me ver; “pelas costas”.

Só quero ver como vai acabar; “essa historia”.

Só se faz o pirão; “que se acaba”.

Só sendo cego; “pra não ver”.

Só tem a coragem; “e a cara”.

Só tem a vida; “porque deus não cobra imposto”.

Só tem cabeças; “coroadas”.

Só tem muita beleza; “e nenhuma pureza”.

Só tem o chapéu; “como moradia”.

Só tem o risco; “e o fedor”.

Só tem um; “porem”.

Só vai mais longe; “a gaivota que voa mais alto”.

Sofre mais do que sovaco; “de aleijado”.

Sonhar não faz mal; “á ninguém”.

Sorte de prego; “não muda”.

Sossega; leão”.

Sossega; “o facho”.

Sou cão; “farejador”.

Sou duro; “na queda”.

Sou pequena; “mas não sou pedaço”.


T

Ta a pão; “e água”.

Ta a passos; “de cágado”.

Ta amargando; “a derrota”.

Ta amarrando; “um bode”.

Ta andando; “na corda bamba”.

Ta andando; “nas nuvens”.

Ta armando o maior; “barraco”.

Ta arrastando; “as asas”.

Ta arrastando; “os quatro pneus”.

Ta arrebentando; “a boca do balão”.

Ta atolado; “ate o pescoço”.

Ta atravessado; “na minha garganta”.

Ta atravessando; “a via crucis”.

Ta balançando mais; “do que canos na maresia”.

Ta batendo mais; “do que coração de assustado”.

Ta batendo; “de porta em porta”.

Ta batendo; “na porta errada”.

Ta bem; “na foto”.

Ta botando as mangas; “de fora”.

Ta botando as unhas; “de fora”.

Ta botando fedor; “em bosta”.

Ta botando panos; “quentes”.

Ta botando; “pra derreter”.

Ta botando; “pra quebrar”.

Ta brincando; “de esconde-esconde”.

Ta brincando; “de gato e rato”.

Ta cada vez mais; “enrolado”.

Ta caindo; “aos pedaços”.

Ta caindo; “de maduro”.

Ta cavando a própria; “sepultura”.

Ta cercando; “frango”.

Ta céu; “de brigadeiro”.

Ta cheirando; “a maracutaia”.

Ta chorando lagrimas; “de crocodilo”.

Ta chorando; “de barriga cheia”.

Ta chutando a muleta; “de aleijado”.

Ta chutando o pau; “da barraca”.

Ta chutando; “o balde”.

Ta clamando; “no deserto”.

Ta coçando; “o saco”.

Ta colando mais do que; “encosto”.

Ta colando mais; “do que catarro em parede”.

Ta com a bola; “cheia”.

Ta com a bola; “murcha”.

Ta com a bunda; “na ratoeira”.

Ta com a cabeça "toda enfeitada”.

Ta com a cabeça cheia; “de minhocas”.

Ta com a cabeça; “virada”.

Ta com a cara; “coçando”.

Ta com a corda; “toda”.

Ta com a faca e o queijo; “na mão”.

Ta com a moleira; “aberta”.

Ta com a pulga; “atrás da orelha”.

Ta com a rédea; “solta”.

Ta com a vida que pediu; “a Deus”.

Ta com a vida; “feita”.

Ta com bicho; “na capação”.

Ta com dança; “de rato”.

Ta com o baú; “abarrotado”.

Ta com o couro; “coçando”.

Ta com o fogo; “da gata”.

Ta com o rabo; “na ratoeira”.

Ta com os nervos; “a flor da pele”.

Ta comendo com a corda; “curta”.

Ta comendo hoje; “o que ganhou atrás”.

Ta comendo o pão; “que o diabo amassou”.

Ta comendo; “moscas”.

Ta comendo; “poeira”.

Ta comprometido; “ate a medula”.

Ta contra todos; “e contra tudo”.

Ta costurando; “pra fora”.

Ta cozinhando em banho; “Maria”.

Ta cozinhando em pouco; “caldo”.

Ta cuspindo hoje; “na mão que te alimentou ontem”.

Ta cuspindo; “bala”.

Ta dando o maior; “qui-pró-có”.

Ta dando o maior; “sururu”.

Ta dando voltas; “em si mesmo”.

Ta dando; “zebra”.

Ta dando; “zorra”.

Ta de burro; “amarrado”.

Ta de frente; “pro crime”.

Ta de papo; “pro ar”.

Ta de pernas; “pro ar”.

Ta de pires; “na mão”.

Ta de ponta; “a cabeça”.

Ta de queixo; “caído”.

Ta defendendo o feijão nosso; “de cada dia”.

Ta defendendo o pão nosso; “de cada dia”.

Ta defendendo o pão; “das crianças”.

Ta deixando escapar; “por entre os dedos”.

Ta em compasso; “de espera”.

Ta em maus; “lençóis”.

Ta em palpos; “de aranha”.

Ta embarcando numa canoa; “furada”.

Ta encarnando mais; “do que remorso”.

Ta entrando; “de gaiato”.

Ta entrando; “numa gelada”.

Ta entrando; “numa roubada”.

Ta entre a cruz; “e a espada”.

Ta entre o céu; “e o inferno”.

Ta entre um quente; “e dois fervendo”.

Ta entregue; “as baratas”.

Ta entregue; “as matrocas”.

Ta escondendo; “o jogo”.

Ta esfolando; “pela cabeça”.

Ta esfolando; “vivo”.

Ta falando comigo; “ou ta mascando tabaco”.

Ta falando; “a minha língua”.

Ta falando; “pelos cotovelos”.

Ta fazendo das tripas; “coração”.

Ta fazendo tempestade; “em copo d´água”.

Ta fazendo; “a meã culpa”.

Ta fazendo; “água”.

Ta fazendo; “cavalo de batalha”.

Ta fazendo; “gato e sapato”.

Ta fazendo; “jogo duplo”.

Ta fazendo; “jogo sujo”.

Ta fazendo; “o caminho de volta”.

Ta fritando; “em pouco azeite”.

Ta gozando; “com a tua cara”.

Ta guardado; “a sete chaves”.

Ta havendo; “um mal entendido”.

Ta jogando a sorte; “pela janela”.

Ta jogando a verde; “pra colher madura”.

Ta jogando água; “fora da bacia”.

Ta jogando conversa; “fora”.

Ta jogando fora; “a oportunidade”.

Ta jogando todas; “as fichas”.

Ta jogando; “fora”.

Ta jogando; “solto”.

Ta lavando; “a burra.”.

Ta mais abandonado do que; “hotel em noite de natal”.

Ta mais acelerado do que; “coração de pinto”.

Ta mais acuado do que; “embiara de cachorro”.

Ta mais acuado do que; “índio de sapato”.

Ta mais alegre do que; “criança quando ganha presente”.

Ta mais alegre do que; “noiva no dia do casamento”.

Ta mais alegre do que; “urubu na carniça”.

Ta mais amarfanhado do que; “cabelo de preto”.

Ta mais amargo do que; “chá de quina”.

Ta mais amarrado do que; “santo do interior”.

Ta mais apagado do que; “lamparina sem azeite”.

Ta mais arisca do que; “franga nova”.

Ta mais arrepiado do que; “gato assustado”.

Ta mais assanhado do que. “Aluno de colégio”.

Ta mais assustada do que; “lebre acuada por lobo”.

Ta mais assustado do que; “quem vê assombração”.

Ta mais atrapalhado do que; “marinheiro de primeira viagem”.

Ta mais baixo do que; “poleiro de pato”.

Ta mais barulhento do que; “siri na lata”.

Ta mais bêbado do que; “peru na véspera da morte”.

Ta mais besta do que; “cavalo de arraial”.

Ta mais braba; “do que onça acuada”.

Ta mais calado do que; “pão no saco”.

Ta mais dengoso do que; “neto criado com avó”.

Ta mais desafinado do que; “viola de cego”.

Ta mais desamparado do que; “meninos de rua”.

Ta mais desanimado do que; “marido do terceiro matrimônio”.

Ta mais embrulhado do que; “pamonha”.

Ta mais enjoada do que; “purgante”.

Ta mais enrolado do que; “mola de isqueiro”.

Ta mais escondido do que; “cabelo de freira”.

Ta mais escondido do que; “dinheiro de padre”.

Ta mais fácil do que; “capturar um gato”.

Ta mais fácil do que; “tomar bolacha da mão de cego”.

Ta mais fácil do que; “tomar pirulito da mão de criança”.

Ta mais feio do que; “careta de valho”.

Ta mais folgada; “do que rosca cuspida”.

Ta mais folgado do que; “colarinho de palhaço”.

Ta mais fraco do que; “leite de pobre”.

Ta mais frio do que; “boca de anjo”.

Ta mais inquieto do que; “rabo de porco”.

Ta mais justo do que; “boca de bode”.

Ta mais liso do que; “quiabo”.

Ta mais macio do que; “bunda de criança”.

Ta mais mimado do que; “cachorrinho de madame”.

Ta mais mole do que; “manteiga”.

Ta mais parado do que; “maresia em pote”.

Ta mais perdido do que; “cego no meio do tiroteio”.

Ta mais perfumado do que; “filho de barbeiro”.

Ta mais perfumado do que; “terreiro de macumba”.

Ta mais por baixo do que; “barriga de cobra”.

Ta mais por fora do que; “bunda de índio”.

Ta mais por fora do que; “marido enganado”.

Ta mais preto do que; “gato de macumba”.

Ta mais satisfeito do que; “pinto em caroço de manga”.

Ta mais seguro do que; “casa velha”.

Ta mais suave do que; “rosto de namorada”.

Ta mais sujo do que; “pau de galinheiro”.

Ta mais triste do que; “velório”.

Ta mais tristonho do que; “noivo abandonado”.

Ta mais vexado do que; “bode em proa de mentira”.

Ta malhando; “em ferro frio”.

Ta matando cachorro; “a grito”.

Ta matando; “o tempo”.

Ta metendo a mão; “num vespeiro”.

Ta metendo o chicote; “na minha mão”.

Ta metendo os pés; “pelas mãos”.

Ta metendo; “bronca”.

Ta metido numa camisa; “de onze varas”.

Ta metido numa sinuca; “de bico”.

Ta mordendo; “na corda”.

Ta mordendo; “os cotovelos”.

Ta morto; “e sepultado”.

Ta muito saído; “pro meu gosto”.

Ta muito salgado; “pro meu paladar”.

Ta muito; “badalado”.

Ta na banca; “rota”.

Ta na hora da onça; “beber água”.

Ta na maior; “zoeira”.

Ta na rua; “ta na amargurada”.

Ta navegando; “na maionese”.

Ta negando; “fogo”.

Ta no inferno; “de corpo e alma”.

Ta no mato; “sem cachorro”.

Ta no meio de fogo; “cruzado”.

Ta no mundo; “da lua”.

Ta nu; “com as mãos nos bolsos”.

Ta num beco; “sem saída”.

Ta padecendo; “de Herodes á Pilatos”.

Ta pagando os pecados; “que não são poucos”.

Ta pagando pelo que; “não fez”.

Ta pagando um preço; “muito alto”.

Ta parecido cachorro de sitio; “lambendo a tripa e bebendo água”.

Ta parecido samba; “do crioulo doido”.

Ta parecido um bando de periquitos; “no milharal”.

Ta passando; “batido”.

Ta pegando com luvas; “de pelica”.

Ta pegando mais do que; “catarro em parede”.

Ta pegando; “no meu pé”.

Ta pensando na morte; “da bezerra”.

Ta pensando que; “cachaça é água”.

Ta pensando que; “fogo não apaga”.

Ta pensando; “alto”.

Ta perdido no meio; “da tempestade”.

Ta pintando; “e bordando”.

Ta pior do que carne de segunda; “só osso”.

Ta pisando em casca; “de banana”.

Ta pisando em terreno; “minado”.

Ta pisando; “em brasa”.

Ta pisando; “em ovos”.

Ta pisando; “miudinho”.

Ta plantando; “a semente da discórdia”.

Ta por cima; “da carne seca”.

Ta por um fio; “de cabelo”.

Ta pra bater; “as botas”.

Ta pregado; “com cuspe”.

Ta procurando cabelo; “em ovo”.

Ta procurando sarna; “pra se coçar”.

Ta procurando; “pro rabo”.

Ta provando; “do próprio veneno”.

Ta provando; “do que é bom”.

Ta puxando; “a cachorrinha”.

Ta puxando; “o saco”.

Ta remoendo; “o desprezo”.

Ta roendo; “uma pupunha crua”.

Ta saindo; “pelo ladrão”.

Ta se roendo; “por dentro”.

Ta sendo passado; “pra trás”.

Ta sentado em cima; “dos ovos”.

Ta sentando em cima; “do saco”.

Ta sepultado; “em cova rasa”.

Ta sofrendo; “as conseqüências”.

Ta soltando veneno; “pelos poros”.

Ta sonhando; “acordado”.

Ta sonhando; “com os anjos”.

Ta suando mais do que; “bico de chaleira”.

Ta suando mais do que; “pano de cascos”.

Ta suando; “a bicas”.

Ta subindo de costas; “pelas paredes”.

Ta te entregando; “antes do tempo”.

Ta te; “precipitando”.

Ta tirando; “o couro”.

Ta tomando banana; “de macaco”.

Ta tomando bença de gato; “e chamando tio pra cachorro”.

Ta tomando bolacha;

Ta tremendo mais do que; “vara verde”.

Ta tudo bem; “quando tudo acaba bem”.

Ta tudo como manda; “o figurino”.

Ta tudo como manda; “os bons costumes”.

Ta tudo na santa paz; “de deus”.

Ta tudo nos seus; “devidos lugares”.

Ta tudo pela hora; “da morte”.

Ta tudo; “nos conformes”.

Ta um grita; “e outro não responde”.

Ta um pega; “pra capar”.

Ta vendendo a lama; “ao satanás”.

Ta vendendo o almoço; “pra comprar o jantar”.

Ta vivendo a trancos; “e barrancos”.

Ta vivendo a vida de nababo; “a queijo e pão-de-ló”.

Ta vivendo a vida; “que pediu a deus”.

; “a mingua”.

Ta; “arretado”.

Ta; “azarado”.

Ta; “azuretado”.

Ta; “brabo”.

Ta; “brincando”.

Ta; “maneiro”.

Ta; “me estranhando”.

Ta; “na mesa”.

Ta; “russo”.

Ta; “zanzarando”.

Ta; “zarolho”.

Ta; “zonzo”.

Tal mãe; “tal filha”.

Tal pai; “tal filho”.

Tamanho não é; “documento”.

Também sou filho; “de Deus”.

Tanto barulho; “por nada”.

Tanto faz na minha cabeça; “como na minha cabeça me dá”.

Tanto faz; “como tanto fez”.

Tanto trabalho; “e pouca renda”.

Tanto trabalho; “jogado fora”.

Tão queimando; “o meu filme”.

Tão rasgando; “seda”.

Tão te passando; “a perna”.

Tão te passando; “vaselina”.

Tão trocando; “figurinhas”.

Te breia; “boca”.

Te cuida; “malandro”.

Te curva; “a espada da lei”.

Te encosta aos bons, que serás um deles; “te encosta aos ruins que será pior que eles”.

Te encosta em boa árvore; “que te dará boa sombra”.

Te entrega; “nego Chico”.

Tem a boca; “rota”.

Tem a cabeça; “oca”.

Tem a costa; “larga”.

Tem a imaginação; “muito fértil”.

Tem a língua; “comprida”.

Tem a língua; “de trapo”.

Tem a língua; “solta”.

Tem alguma coisa podre; “no reino da Dinamarca”.

Tem boi; “na linha”.

Tem boi; “solto”.

Tem capivara; “no lago”.

Tem culpa; “no cartório”.

Tem gato; “na tuba”.

Tem mais sorte; “do que filho de vaqueiro”.

Tem mania; “grandeza”.

Tem muita árvore; “dando à mesma fruta”.

Tem muita farofa; “pra pouco ensopado”.

Tem muito cacique; “pra pouco índio”.

Tem nada; “a ver”.

Tem o bucho; “furado”.

Tem o olho maior; “do que a barriga”.

Tem o olho; “gordo”.

Tem o rabo; “preso”.

Tem pose; “de artista”.

Tem que aceitar; “a realidade dos fatos”.

Tem que agradar; “gregos e troianos”.

Tem que bater; “de frente”.

Tem que correr; “atrás do prejuízo”.

Tem que correr; “contra o relógio”.

Tem que correr; “contra o tempo”.

Tem que cortar; “na própria carne”.

Tem que dá nome; “aos bois”.

Tem que encarar; “olho no olho”.

Tem que fazer; “o dever de casa”.

Tem que passar; “a limpo”.

Tem que pegar; “na alça do caixão”.

Tem que ralar; “muito”.

Tem que rir; “pra não chorar”.

Tem que ser cara; “ou coroa”.

Tem que ter estomago; “de avestruz”.

Tem que ter muita; “lábia”.

Tem que ter muita; “paciência”.

Tem que ter muito; “jogo de cintura”.

Tem que ter muito; “sangue frio”.

Tem que ter muito; “tato”.

Tem que ter; “saco de papai Noel”.

Tem quem se faz de morto; “pra enganar o coveiro”.

Tem tudo; “a ver”.

Tem um abacaxi; “pra descascar”.

Tema língua; “suja”.

Tenho um trunfo; “na manga do paletó”.

Tira dos meus olhos o argueiro; “pra que possa te ver fagueiro”.

Tirei a roupa; “do rei”.

Tirei o premio; “maior”.

Tirei um elefante; “da mi8nha costa”.

Tirou a palavra; “da minha boca”.

To afogando; “as minhas mágoas”.

To afogando; “o ganso”.

To chutando; “o vento”.

To chutando; “pro azar”.

To com o espírito; “desarmado”.

To conversando; “com os meus botões”.

To de coração; “aberto”.

To de olho; “aberto”.

To de saco; “cheio”.

To falando mais serio; “do que noiva na hora de dizer sim”.

To na tua; “cola”.

To na tua; “sintonia”.

To navegando; “em águas paradas”.

To pagando; “pra ver”.

To pensando; “alto”.

To preparado para o que der; “e vier”.

To quebrando; “a rotina”.

To quebrando; “o gelo”.

To sentindo; “na pele”.

To só passando; “o pano”.

Tô; “de óculos”.

Tô; “estrepado”.

To; “ferrado”.

To; “fora”.

To; “me lixando”.

To; “na minha”.

To; “nem ai”.

To; “nem vendo”.

Toda ausência; “é atrevida”.

Toda culpa; “tem o seu castigo”.

Toda ferida que se descasca; “não sara”.

Toda invenção; “tem o seu custo”.

Toda necessidade; “é impaciente”.

Toda regra; “tem exceção”.

Toda roupa; “veste nu”.

Todas as caminhadas; “começas ao primeiro passo”.

Todas as tragédias; “aproximam as pessoas”.

Todo bom cobrador; “é mal pagador”.

Todo cuidado; “é pouco”.

Todo homem; “tem o seu preço”.

Todo o mal; “trás um retorno”.

Todo o sapo conhece; “a sua perereca".

Todos comem; “no mesmo prato”.

Todos estão falando a verdade; “quando todos estão mentindo”.

Todos falam; “a mesma língua”.

Todos têm a sorte; “que merecem”.

Toso poderoso; “tem um pé de barro”.

Trair é como coçar; “é só começar”.

Tristeza dividida; “é meia tristeza”.

Tropica; “mais não cai”.

Trovejar; “não é chover”.

Tu és o ultimo que fala; “é o primeiro que apanha”.

Tu és um homem; “ou tu és um rato”.

Tu queres um fundo novo; “de lata velha”.

Tudo como d´antes; “no quartel de abranches”.

Tudo foi feito; “no calor da hora”.

Tudo na vida; “é passageiro”.

Tudo na vida; “é quase”.

Tudo na vida; “tem o seu preço”.

Tudo não passou; “de um sonho”.

Tudo podemos; “quando queremos”.

Tudo que é demais; “enjoa”.


U

Um bom acordo; “é melhor do que uma grande demanda”.

Um bom conselho; “é melhor do que um bom dinheiro”.

Um cristal quebrado; “nunca se recupera”.

Um dia é da caça; “o outro do caçador”.

Um dia; “a casa cai”.

Um dia; “a moda pega”.

Um dia; “a paciência acaba”.

Um dia; “chove no meu roçado”.

Um dia; “o feitiço vira contra o feiticeiro”.

Um dia; “o saco enche”.

Um dia; “o saco fura”.

Um gesto bem feito; “fala mais que muitas palavras mal ditas”.

Um olho no padre; “e o outro na missa”.

Um olho no peixe; “e o outro no gato”.

Uma laranja bichada; “estraga um cesto”.

Uma mãe é pra cem filhos; “cem filhos não são para uma mãe”.

Uma mão lava a outra; “e ambas batem palmas”.

Uma mão lava a outra; “e ambas lavam o rosto”.

Uma ovelha ruim; “põe o rebanho a perder”.

Uma só andorinha; “não pode fazer verão”.

Unas nasceram para serem padres; “e outros pra padecerem”.

Uns com tantos; “e outros com tão pouco”.

Urubu velho; “sabe aonde tem carniça”.

Urucubaca; “não pega”.

Use a inteligência; “não use a força”.

Use a razão; “e o bom senso”.


V

Vá procurar; “a tua turma”.

Vá; “pela sombra”.

Vai alem; “da imaginação”.

Vai arrumar; “encrenca”.

Vai atracar o teu barco; “n´outro porto”.

Vai buzinar; “na casa do nola”.

Vai caçar; “marido”.

Vai cantar; “nóutra freguesia”.

Vai chorar; “lagrimas de sangue”.

Vai chorar; “noutro colo”.

Vai comer; “do lado pobre”.

Vai comer; “na minha mão”.

Vai dá um; “arranca rabo”.

Vai dá; “com a língua no dente”.

Vai de mal; “á pior”.

Vai de vento, “em poupa”.

Vai empurrando; “com a barriga”.

Vai encalhar noutra praia; “baleia”.

Vai encher o saco; “do boi”.

Vai fazer “o diabo se benzer”.

Vai ficar a ver; “navios”.

Vai ficar “de orelha em pé”.

Vai ficar; “falando só”.

Vai ficar; “na saudade”.

Vai ficar; “no caritó”.

Vai ficar; “pra semente”.

Vai ficar; “pra titia”.

Vai ganhar o que Maria ganhou; “na capoeira”.

Vai lamber “sabão”.

Vai lamber prego, “e vê se ele entorta”.

Vai matar “o boi”.

Vai morrer; “de dente seco”.

Vai morrer; “de desgosto”.

Vai morrer; “onde não feda”.

Vai pagar caro; “pela graça”.

Vai pagar no inferno; “com careta”.

Vai pegar o tiro; “da macaca”.

Vai pegar um chute; “na canela”.

Vai pegar um chute; “no traseiro”.

Vai pegar; “uma pedreira”.

Vai pentear; “macaco”.

Vai plantar; “batatas”.

Vai pra cidade; “dos pés juntos”.

Vai procurar “marido”.

Vai procurar; “o que fazer”.

Vai se arrepender; “do dia que nasceu”.

Vai te queixar, “ao bispo”.

Vai te queixar, “ao delegado”.

Vai ter “muito que aprender”.

Vai ter “que engolir ou vomitar”.

Vai ter “que entrar no eixo”.

Vai ter “que morder o rabo”.

Vai ter muito tempo, “pra se arrepender”.

Vai ter que assumir, “ou sumir”.

Vai ter que baixar “o topete”.

Vai ter que dançar, “do jeito que a música tocar”.

Vai ter que engolir “o choro”.

Vai ter que engolir, “em seco”!

Vai ter que engolir, “sem tossir e sem mugir”.

Vai ter que ensinar o diabo, “a se benzer”.

Vai ter que pular da frigideira, “pro fogo”.

Vai ter que tirar “o leite de pedra”.

Vai ter que tirar as calças, “pela cabeça”.

Vai ter que, “fuçar muito”.

Vai ter que, “me engolir”.

Vai ter que, “molhar o pé da planta”.

Vai ter, “que calçar a sandália da humildade”.

Vai ter, “que descer de cima do muro”.

Vai tudo, “de mal a pior”.

Vai ver com quantos paus, “se faz uma jangada”.

Vai ver o que é bom, “pra febre”.

Vai ver o sol, “nascer quadrado”.

Vai ver se estou “lá no canto”.

Vai ver, “o que é bom pra febre”.

Vai; “encarar?”.

Vais ganhar “uma banana”.

Vamos arrumar “a casa”.

Vamos ter que enfrentar “dias cinzentos”.

Vamos ver que bicho, “vai dar”.

Vá-se os anéis; “e fiquem os dedos”.

Vasilha ruim, “não se quebra”.

Vê com os olhos, “e se come com a testa”.

Vê se não, “me amola”.

Ver ouvir e calar, “boa vida passará”.

Viajou sem passagem, “de volta”.

Vida boa, “não quer pressa”.

Vintém poupado, “e vintém ganho”.

Viola que desafina, “não rima”.

Vira essa boca, “pra lá”.

Virou o cavalo, “do cão”.

Virou uma bola, “de neve”.

Virou, “arroz de festa”.

Virou, “pesadelo”.

Viúva é como lenha verde, “chora, mas pega fogo”.

Vive com a cabeça enterrada, “igual a avestruz”.

Vivem como, “água e azeite”.

Vivem como, “cão e gato”.

Você é a expressão mais simples, “nada”.

Você e nada, “nada é mais perigoso”.

Você vai ver, “pode esperar”.

Voltou com o rabo, “entre as pernas”.

Voltou com uma mão na frente, “e a outra atrás”.

Voltou de mala, “e cuia”.

Voltou de mãos “abanando”.

Voltou de mãos, “vazias”.

Voltou, “com malas e bagagens”.

Vou abrir “o verbo”.

Vou assistir “de camarote”.

Vou botar a boca, “no trombone”.

Vou botar o pé, “na estrada”.

Vou defender, “com unhas e dentes”.

Vou fazer o possível, “e o impossível”.

Vou ficar um pouco mais, “lambendo a minha cria”.

Vou meter “o bicho”.

Vou meter “o pé na jaca”.

Vou mover “céus e terras”.

Vou pagar, “pra ver”.

Vou picar “a mula”.

Vou rasgar “a fantasia”.

Vou rasgar, “fora”.

Vou sair “de sena”.

Vou ter “que decidir”.

Vou ter “que me virar”.

Vou ter “que virar a mesa”.

Vou ter que defender, “com unhas e dentes”.